quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

American Beauty

  Gosto dos filmes Americanos.



  O que mais gosto é a transparência com que mostram sua sociedade e por tabela a alma humana.

  ”Fidels, Hitlers e Aiatolás” maquiam seus mundos, controlam com mão de ferro o que “devemos” saber deles.

  Os Americanos escancaram suas entranhas, em alguns filmes os índios são os bandidos em outros o cara pálida é o genocida.

  Em “Beleza Americana” o diretor vai fundo no mais profundo que existe naquela sociedade, um filme sobre nada que fala de tudo, drogas, homossexualismo, insinua pedofilia, dinheiro, luxo, pobreza, alienação…


  Em uma cena o protagonista sonha com uma animadora adolescente de torcida.
  É como se a câmera perguntasse para a gente:

  Quem não sonha com aquela “beleza americana”?

  Mais tarde a mesma câmera nos faz perceber que é só uma criança em um corpo de mulher e não dá para ter prazer sexual com crianças, pelo menos para o humano “normal”.

  Em filmes americanos vemos seus guetos, suas praias de Malibu, a aplicação e não aplicação de suas leis, seus gordos e suas mulheres esculturais.

  Em séries como “Lei e Ordem”, ficamos mais entendidos na justiça Americana que em nossa própria.

  Em CSI nos acostumamos a ver cadáveres e passeamos por tudo que seja possível fazer um humano matar outro.



  Aos irmãozinhos Americanos minha admiração e respeito.

  Deus salve a América!

  Será que tem cinema no Itamaraty?
  Não entendo porque nossa diplomacia é tão avessa aos americanos 😩





Muito interessante essa imagem da "beleza" crucificada.
A proibição do PRAZER.




anterior                       <>                                próximo

Postar um comentário