sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Dinheiro do Governo

  “A caridade é um exercício espiritual.
   Quem pratica o bem, coloca em movimento as forças da alma.”
[Chico Xavier]

  Esse tipo de ideologia tão subjetiva presta um desserviço a sociedade, observe um caso:

Telemarketing - “Ajudamos hoje mais de 180 famílias, o senhor quer participar”.

William -  Humm...eu já contribuo com outra entidade.

Telemarketing – “Qual?”

William - O Bolsa Família.

Telemarketing -“hehehehehehehe! Mas esse auxilio é do Governo…”

William – E de quem o Governo pega o dinheiro!?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Fim de ano o telefone não para de tocar, todo mundo quer meu décimo e terceiro.
  Não aguento mais atender Lar dos Velhinhos, Casa da Criança, LBV...instituições assistenciais de todo tipo.
  O dialogo acima aconteceu em Dezembro.

  É incrível como as pessoas acreditam que o dinheiro gasto pelo Estado surge do nada!

  Não entendo porque essas 180 famílias que a LBV atende não recebem o Bolsa Família.
  Seria mais lógico que a LBV lutasse para que elas recebessem.
  Se essas famílias estão tão carentes de certo recebem ajuda “do Governo”, mas um benefício a mais que mal faz ...

  Não sou contra o Bolsa Família desde que a família realmente necessite. 

  O desagradável é que um casal transa irresponsavelmente e coloca crianças no mundo as quais não consegue nem dar o que comer.
  Com o dinheiro dos impostos nós cidadãos mais responsáveis não deixamos essas crianças passarem fome.
  Devo me sentir culpado e fazer mais doações!?

  Nasci em uma família desestruturada, tive que lutar muito pelo pouco que tenho, se casais querem só revirar o zóinho sem se preocuparem com as consequências que culpa cabe a mim!?

  Minhas filhas nasceram em uma família bem estruturada, pai e mãe responsáveis, que culpa cabe a elas!
  Que dívida elas tem com os pais irresponsáveis e seus filhos!?
  Minhas filhas nasceram com culpa e os pais irresponsáveis são isentos de culpa!?
  As crianças carentes são vítimas da “sociedade” ou fruto da irresponsabilidade de seus pais?

  Meu décimo e terceiro esse ano vai para consumo próprio e alguma poupança, prefiro gerar empregos gastando comigo e com minha família.
  Caridade, tô fora.

  Bancos não me procurem com suas “bondosas” ofertas de crédito.
  Não sou idiota de pagar juros, não compro dinheiro; compro bens e serviços.

  ONGs e Instituições de Caridade peçam dinheiro para o Estado, ele me roubou honestamente [dentro da lei] então o dinheiro “é dele” ... perguntem para a moça do telemarketing.

  Quem quiser meu décimo terceiro vai ter que trabalhar!






  Obs: Para mim, dinheiro sempre foi muito difícil conseguir.
  Para vocês terem uma ideia (mesmo na minha melhor fase) nunca tive que complementar o pagamento do Imposto de Renda.
  Na maior parte da minha vida profissional fui isento ou recebi restituição por imposto “descontado a mais.”
  É, eu sou um loser.

  Meu histórico não aconselha ficar “emprestando dinheiro a Deus”.
😆

  Mas se és um “abençoado”, o dinheiro está sobrando, com você Deus não está sendo caloteiro ... ajude os necessitados.

  É evidente que caridade não se resume a dinheiro.
  Se você tem vontade e condição de participar de algum trabalho voluntario faça isso.
  Eu estou cansado, muito cansado para participar de alguma coisa.

  O que posso dizer a você sobre esse texto ...


  NÃO me siga, estou perdido ... sempre estive.


Anterior          <>        Próximo

Postar um comentário