sábado, 30 de março de 2013

Falsa Alegria

  Estava assistindo um vídeo educativo sobre o alcoolismo onde jovens eram filmados voltando da balada, ficavam 3 no banco de trás e uma câmera registrava o antes e o depois da bebedeira. 
  O objetivo é mostrar como álcool e direção não combinam, até aí tudo bem, ótima campanha.

  Confesso que muito dos últimos textos foram inspirados naqueles jovens, eles estavam tão felizes rindo de qualquer coisa, de certo estavam “desconectados” de uma realidade.

  Inspirados neles até tentei virar um copo de cachaça na boca, mas definitivamente o álcool não é para mim.
  Só de aproximar o copo, o cheiro já me é abominável.
  Mais uma vez esbarramos nas diferentes medidas, nos diferentes tipos de espíritos, sou uma pessoa disciplinada se suportasse o álcool saberia o momento certo de parar, mas porque o álcool é insuportável para mim?
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Não conseguir a desconexão é uma maldição, na maioria das vezes me passa despercebido como um cego que se acostuma com a ausência de luz, mas quando eu olho para aqueles jovens tão desconectados e alegres percebo o peso da minha natureza.

  Como posso teorizar que a alegria deles é falsa, o que é alegria verdadeira?

  Apenas observo que naquele “momento” estão felizes.
 As pessoas se “embriagam” com seus cultos evangélicos, recitações de mantras, fofocas, consumismo, ideologias…e como Raul Seixas eu acho tudo um saco!
  Não que eu não veja beleza ou encantamento nessas coisas, só não consigo que elas me levem a uma desconexão da realidade, da lógica.
  Só consigo algum alivio quando durmo, se sofresse de insônia acho que seria meu fim, seria tragado pela loucura.
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Provocação: -  Longe da direção se consegue beber beba muito, na passagem do ano esqueça da moderação, beba suas magoas, beba suas frustrações, lembre que até Jesus transformou a água em vinho, na minha interpretação apócrifa penso que até ele sugeriu que para suportar a realidade por vezes nada melhor que um porre…

  É, mas eu pelo visto não fui contemplado com essa possibilidade então durma William, durma… 



anterior                       <>                                próximo

Postar um comentário