sábado, 23 de março de 2013

Pensar em Voz Alta

     “Um amigo é uma pessoa diante de quem posso pensar em voz alta.”
 [Ralph Emerson]

  Só penso em voz alta quando me certifico que estou sozinho.
  Tenho dificuldade em fazer amigos.

  Meu isolamento acontece porque o mundo é muito estranho.
  Lembro de uma vez que estava indo para algum compromisso social adolescente, quando já estava saindo pelo portão minha mãe um tanto constrangida me disse que a calça estava rasgada no traseiro.
  Claro que fiquei muito chateado com a situação.
  Eu não tinha muitas roupas, minha melhor calça estava muito gasta (o tecido já não suportava costura).
  Entretanto fiquei muito agradecido a minha mãe por me avisar, seria constrangedor depois da festa saber que as pessoas me olhavam devido  um rasgo na calça...

  


  Certa vez em uma situação parecida falei a um “amigo” que sua calça estava muito curta precisava descer a barra, ele me detestou por tê-lo avisado … "porque você não cuida da sua vida!".

  Penso/observo, logo, falo.
  
  Humm ... cheguei a conclusão que se não quisesse ser considerado ainda mais chato/desagradável era melhor “evitar pensar em voz alta”.

  Certa vez um “amigo” comprou uma moto, fiquei surpreso com a quantidade de juros que ele iria pagar, daria para comprar outra moto igual aquela, mas elogiei a moto, realmente uma maquina muito bonita.


  Fiquei sabendo mais tarde de um comentário dele sobre mim: 

  “Aquele desgraçado invejoso.”


  Fiquei chateado com a situação, mas agradecido.
  Eu já estava observando que o pensamento de Emerson era só mais uma frase inspiradora”.
  O comentário foi aquele empurrão final para eu mudar de atitude.

  Hoje em dia quando alguém me conta da obtenção de um bem, procuro nem saber a forma de pagamento, nosso povo adora rolar uma divida no cartão de crédito, entrar no limite do cheque especial é “chic”.
  Vejo muitos colegas usando aquele “leasing” bancário como salário, com um nome bonito desses em inglês só pode ser um ótimo negócio … 
  O Banco deixa a sua disposição na conta um "empréstimo de emergência".
  O individuo tem estranhas emergências, ir a praia, comprar roupas, gastar mais no bar (ou em qualquer outro lugar)

  Já não penso em voz alta.
  Um amigo não liga tanto se o chamamos de idiota (entre homens é comum), mas se “provamos” que ele é idiota então a coisa muda de figura.

  Você se enxergou em alguma dessas situações, cartão de crédito, cheque especial, leasing?


  Façamos um trato, você não pensa em voz alta que eu sou um desgraçado e eu não penso em voz alta que você é um idiota.

  
Podemos ser amigos?


O que seria das “amizades verdadeiras” sem a falsidade...






anterior                       <>                                próximo