terça-feira, 16 de abril de 2013

Odiar é um Tempo Perdido

  “Não me faça fazer de graça a única coisa que sei fazer cobrando.”  [Cacilda Becker]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

  Tem duas coisas que alguns pensadores acham “sujas” e servem como base de suas
ideologias: sexo e dinheiro.
  O Igreja por muito tempo condenou qualquer forma de lucro e a maioria das formas de sexo, dado o sucesso das igrejas observamos a simpatia da humanidade para com essas idéias.
  Deixemos o sexo de lado e entremos pela brecha do dinheiro.
  Tenho falado que detesto trabalhar e detesto mesmo, não tenho nenhuma retratação a fazer.
  O trabalho que faço é apenas “por dinheiro” não tenho nenhum prazer em faze-lo, acontece que é ilógico eu atribuir uma personalidade ao dinheiro e maldize-lo.

  Na realidade não trabalho pelo dinheiro, mas sim pelo alimento, moradia, conforto…

  Se eu trabalhasse em algo que me desse prazer, claro que o trabalho não seria um fardo e se eu ganhasse muito dinheiro para faze-lo qual seria o pecado, onde estaria a sujeira?
  Então transferimos para o dinheiro nossa chateação de ter que trabalhar, transferimos para o patrão todo nosso desgosto em passar horas fazendo coisas desagradáveis, mas e se trabalhar não fosse tão chato?
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Eu não gosto de trabalhar, mas não vejo lógica em odiar o patrão ou o dinheiro por isso, que culpa teriam eles?
  O patrão me possibilita o emprego e dinheiro é um instrumento que torna possível trocar meu trabalho por alimentação, moradia, conforto…

  Cacilda Becker encontrou um trabalho que lhe dava prazer, porque o trabalho lhe dava prazer não deveria “suja-lo” ganhando dinheiro!!!!

  Uma das melhores coisas dessa vida deve ser trabalhar no que gostamos e ganhar bem para isso, digo “deve” porque nunca tive esta oportunidade.
  Uma colega me perguntou se eu não temia colocar textos na Internet e ter minhas idéias “roubadas”, ora, comigo elas não valem nada mesmo, nunca encontrei quem pagasse por elas.
  Já estou ficando velho e não vejo LÓGICA em leva-las para o caixão.
  Talvez eu escreva textos tão bons quanto Paulo Coelho, mas ele tem o poder da NEGOCIAÇÃO e eu não.
  Devo odiar Paulo Coelho? Devo odiar o dinheiro? Devo odiar a eu mesmo? Vou brigar com um Deus ou um “sistema”?
  Ah! Não tenho tempo para ficar odiando.

  O tempo gasto no prazer não é perdido e odiar o mundo definitivamente não me dá nenhum prazer.

  Viva o dinheiro e viva o trabalho, mesmo que estes senhores não me tratem com toda consideração que eu esperava deles…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
  Vida de criatura não é fácil, se eu pudesse queria ser um escolhido, mas o que não tem remédio remediado esta.
  Esses pensadores que odeiam o sexo e o dinheiro deveriam se perguntar se na realidade estão odiando sua própria mediocridade.
  Hã, como deixar de ser medíocre?
  Caraca, não sei! Perguntem ao Paulo Coelho, ele deve ter uma formula magica ou JÁ NASCEU COM ELA…



anterior                       <>                                próximo



Postar um comentário