segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Amor vs Qualidade

  “Nunca amamos as pessoas. O que amamos são as suas qualidades.” [Blaise Pascal]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
  Eu conheço tantas histórias de pessoas próximas onde essa equação não é observável, mas não seria educado torna-las públicas.

  As pessoas se identificariam e ficaria tudo muito desagradável; vou manter todos os filtros e verificar se ainda sobra um texto aproveitável.
  Eu entendo ser atraído por qualidades, não que eu não goste daquele amigo menos favorecido pela inteligência, mas admiração mesmo eu tenho por aquela pessoa mais esperta, aquela mulher ou homem eficiente que faz a coisa acontecer.
  Consigo admirar a inteligência mesmo quando ela é usada para o mal ou acabe me prejudicando.
  Nos filmes quanto mais inteligente for o “bandido” mais inteligente tem que ser o mocinho, esta batalha de intelectos me atrai mais que corridas de carro ou explosões, para eu efeitos especiais são até dispensáveis se não vierem bem amarrados no contexto.

  Mulher quanto mais bonita, inteligente independente, mais eu admiro.

  Nos meus tempos de namoro já desisti de tornar mais séria uma relação porque apesar da beleza e simpatia a garota era um mosca morta não dava para me imaginar criando filhos com uma pessoas tão limitada.
  Como sou preguiçoso nunca pretendi me casar para ficar carregando uma mulher na costa, o casamento deveria ser uma divisão JUSTA de responsabilidades ou preferia não me casar.
  No campo profissional não ligo se a chefia é masculina ou feminina, apenas defendo que quando a mulher assume o comando deve fazer tudo que se espera do COMANDO e não ficar delegando para o homem mais próximo as tarefas mais difíceis…outro dia entro por esta brecha.
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Claro que já não me espanto mais, apenas custo a entender o amor de muitas pessoas. O cara ou a garota são uma tranqueira e tem um(a) trouxa que se apaixona por eles!!
  Vamos supor que a pessoa tem algumas falhas, mas compensa isso com uma qualidade excepcional, é muito rica, ou bonita, inteligente, simpática, enfim alguma qualidade cujo brilho ofusque seus defeitos.
  Mas quem não conhece aquele cara que não se destaca em nenhuma qualidade e tem uma mulher enlouquecidamente apaixonada por ele.
  Todo mundo se pergunta, o que ela viu nele?
  Mentes matemáticas como a minha ou de Pascal realmente se apaixonam pelas qualidades, mas nós não somos a medida de todas as coisas.

“O amor tem razões que a própria razão desconhece.”

  Já vi colegas de quatro por mulheres que sinceramente dá vontade de dar uma marretada na cabeça dele para ver se acorda ou dorme de uma vez, o cara só pode estar com alguma alucinação, não é possível.

  Sei que nosso sistema judiciário é problemático, mas acredito que 90% dos homens que estão presos realmente não são flor que se cheire, alguma culpa no cartório tem.
  O último lugar que eu iria procurar uma namorada seria no presidio.
  Se rolasse uma atração pela Internet e eu descobrisse que ela está presa a conversa até continuaria, mas relacionamento amoroso estaria praticamente descartado.
  Qualquer um que se interesse pelo assunto procure saber sobre a histeria das mulheres que se relacionam com presidiários, não dá para saber o que a mulher admira no cara.
  Geralmente apanha, não vê dinheiro, está sempre solitária [afinal o cara está preso], vida duríssima, dá dó das crianças [é, elas sempre tem filhos com eles, "visita intima"].
   O cara pode ter cometido a maior barbaridade, matado e estuprado como o maníaco do parque e mesmo assim a mulher o ama o considera um grande injustiçado, um cara que ainda vai mostrar para toda sociedade seu valor.

  Se realmente todos nós amassemos a qualidade, o amor seria a coisa mais importante para humanidade, mas amamos pessoas e causas mesmo que elas não tenham qualidade.

  Em uma meditação profunda, chegando o mais próximo possível de buracos negros do pensamento deparei com alguns sofismas em relação ao amor, tipo “siga seu coração e tudo dará certo”.
  Se o amor procurasse a qualidade realmente quase tudo daria certo, escolheríamos parceiras eficientes e as desleixadas teriam que se aprimorar ou não casariam, não transmitiriam seus genes do desleixo.
  As mulheres se apaixonariam por homens decentes, trabalhadores, respeitadores, bons pais e maridos e os pouco civilizados seriam deixados de lado, não transmitiriam seus genes.
  Se o amor buscasse qualidade o crime [entre outras coisas] não compensaria.
  Como disse, esta foi uma meditação muito profunda expô-la em detalhes levaria muitas páginas.
  Então só direi que comecei a observar que as pessoas funcionam “sintonizadas em frequências”, mas fica para outro dia…




  "A vendedora Janaína*, 35, não se sente infeliz tendo uma relação amorosa com Pedro*. Preso há três anos por roubo seguido de homicídio, ela resolveu começar a enviar cartas para ele até que um dia eles se apaixonaram. "Sabia que uma colega da igreja também se correspondia com um presidiário e resolvi que poderia trazer um pouco de conforto para uma pessoa que precisava de minha ajuda. Sou evangélica e acho que se ele se arrependeu, merece outra chance. Não tenho medo que ele faça tudo de novo. Ele aprendeu a lição e quer ser feliz ao meu lado."         Clique Aqui

anterior                                <>                                     próximo
Postar um comentário