quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Ficar Adulto

  “Que é o homem dentro da natureza? Nada com respeito ao infinito. Tudo com respeito ao nada. Um intermédio entre o nada e o tudo.” [Blaise Pascal]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%
  As pessoas fazem muito drama com esse sentimento de ser tudo e nada ao mesmo tempo. Como pensam linearmente já se autodenominam de “fronteiriços”.
  Freud, Marx e as Religiões elevaram exponencialmente a linearidade criando problemas que não existem de fato se os submetermos a um pensamento lógico.
  Vou tentar traduzir isso para 3D. Já aviso que quem faltou nas aulas de geometria…desista! Vá para o Twitter.

  Imagine uma reta infinita e a corte em um ponto, esse ponto se torna uma “fronteira”, o fim ou início de uma reta.


  A reta agora vem do infinito e termina no ponto ou começa no ponto e vai a infinito [como preferir].
  Acontece que este ponto é uma fronteira só enquanto você não emenda uma nova reta.
  Percebe que tudo caminha para o infinito e nós ou alguma situação faz aparecer o ponto?
  Se não existe uma fronteira imutável em uma reta imagine em um plano.
  As pessoas que se dizem “bordeline” se descrevem em estado de euforia em um momento e depressão em outros, em um momento se sentem TUDO em outro momento se sentem NADA.
  Elas percebem o ÓBVIO e fazem um drama danado a respeito disso.


   Vamos a um exemplo, quando você se apaixona é uma situação que cria um ponto no plano, logo o que aquela pessoa fala ou faz desencadeia alterações de humor muito profundas, pois ali “geometricamente” tem uma fronteira, o início de uma euforia ou o fim de uma depressão ou o início de uma depressão e o fim de uma euforia [como preferir]

  Eu observo nos “nervosinhos” uma imaturidade para lidar com sentimentos.
  Ao invés de buscar se tornar ADULTOS, emendar uma nova reta, juntar planos e traçar uma nova perspectiva ficam culpando o corpo e o ambiente por suas instabilidades “espirituais”.
  Como Freud nunca viu a existência de espíritos nem como possibilidade criou esta terapia que tem como base uma “cristalização” do cérebro onde ligações neurais ocorridas na infância por meio do ambiente DETERMINAM padrões de comportamento por todo resto da vida.

  A Psicanalise não age de modo a induzir a pessoa ficar mais adulta, mas para aceitar a permanência na INFANTILIDADE, culpando um passado remoto por tudo de mal que lhe acontecer.

  Se você era “pavio curto” na infância nada impede que seu espirito fique mais tolerante com o passar do tempo.
  Se você era um banana nada impede que se imponha um pouco mais na fase adulta, sim, estou mais uma vez falando de buscar um EQUILÍBRIO Yin/Yang.
  Não importa se sua mãe era muito mandona e você ficou dependente de alguém mandando em você, se HOJE essa situação de submissão não lhe é interessante “tente” mudar.
  Sua mãe já não é tão “dominante” em sua vida como no passado, hoje você trabalha, é adulto, assume responsabilidades.
 Mãe só tem uma, você não precisa ser submisso a outras pessoas que evidentemente não são sua mãe.
  Fala sério, você precisa de 5 anos de terapia para observar essa LÓGICA?
  Sei, sei observa-la é fácil o difícil é pôr em pratica, mas você vai colocar isso em pratica deitado em um divã!?

  Além do mais nossas moderníssimas maquinas “hoje em dia” escaneiam o cérebro como nunca se fez e sabe o que descobrimos?
  Que ele é mais plástico e moldável do que pensávamos, “cristaliza-lo” em traumas ocorridos na infância é mais uma OPÇÃO nossa que uma exigência ou fato quase imutável da natureza.
  Então você que tem um espirito “GABRIELA” [eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim e tudo é culpa dos meus pais e da sociedade...] aqui na Filosofia Matemática irá se sentir um bebê chorão totalmente desorientado, corre, vai fazer análise…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
 Segundo a Psicologia se os relacionamentos pessoais não são bons a pessoa necessariamente tem uma doença, um distúrbio.
  Se Fulano não te ama como você “merece” então o mundo esta errado porque todos tem que te amar, porque você é uma pessoa maravilhosa com alguns distúrbios mentais originados na infância…ai que azia.
  Oras, Filosoficamente uma paixão pode dar certo ou errado.
  Podemos ser totalmente correspondidos, parcialmente correspondidos ou não sermos correspondidos.
  Se uma paixão não dá certo é mais eficiente emendar uma outra reta, ir em busca ou aguardar uma nova paixão.
  Se der certo…rumemos ao infinito até que o infinito acabe, a situação coloque um ponto no plano ou na reta. [Já escrevi que as paixões também terminam]
   Todos somos Bordelines ou Fronteiriços, a grande maioria percebe que a infância infelizmente não dura para sempre e quando chegamos a fase adulta…é bom nos comportarmos como adultos, a vida fica bem melhor assim.


anterior         <>              próximo


Postar um comentário