segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Tirar Deus da Equação

  “É difícil ser religioso quando certas pessoas nunca são incineradas por raios.”  [William Watterson]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%
  “Não me decepcionei, mas eu estava errada, por ter julgado depressa que o “primeiro passo” para “reduzir o mal nas pessoas” havia sido da Psicanálise. Na verdade, está sendo, ou tentando ser, da medicina psiquiátrica.” [Nihil]

   Como bem sabes a Filosofia é muito mais abrangente que essas “terapias” que tanto admiras porque é o tronco de onde partiu todas as ciências ou terapias.

  Filosoficamente eu digo que o primeiro passo da humanidade para reduzir ou eliminar o mal nas pessoas foi dado pela RELIGIÃO.

  Não podemos dizer que a religião é algo primitivo ou ultrapassado, veja que interessante, você admira o Freudianismo, mas frequenta um Templo Budista ou seja tem sua psicanalise, tem suas drogas e ainda assim precisa da religiosidade!
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Como bom capitalista eu posso dizer que a religiosidade é na maioria das
vezes bem mais barato que a psicanálise então você esta colocando a religião à frente da psicanálise por uma questão de capital, mas o barato para se manter tem que dar resultado ou pelo menos uma ilusão de resultado.
  Quero dizer que se a religiosidade não lhe trouxesse nenhum alivio, nem por ser barato você a utilizaria, portanto a religião tem sido mais EFICIENTE em sua vida que a psicanálise.

  A Psicologia trata o mal como uma psicopatia, alguém que gosta de matar, é preguiçoso, mente, rouba, é violento…é um doente a ser tratado.

  A Psiquiatria busca uma vacina mágica para essas “moléstias”.

  A Psicanálise acredita que conversando depois de 10 ou 20 anos o cidadão irá descobrir o trauma de infância que o fez ficar doente!

  A religião já falava essas coisas muito antes do Freudianismo, aliás este nada mais é que pegar ideologias religiosas e TIRAR DEUS DA EQUAÇÃO.

  Para o Freudianismo [embalado no Darwinismo] somos apenas maquinas biológicas, não existe espirito, existe só um cérebro que em seu funcionamento normal é JUSTO E BOM [guarde isso que é muito importante]
ºººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Para a religião Deus é justo e bom e sempre que nos comportarmos de maneira justa e boa estaremos sob a influência de Deus.

  Quando não nos comportarmos bem, estaremos funcionando de maneira “defeituosa” praticando o mal abominável a Deus, estaremos “doentes”, “afastados de Deus”, sob influência do Demo.

  Percebem?
   As duas ideologias partem do princípio que somos naturalmente justos e bons.
  O Freudianismo apenas tirou Deus da equação e colocou um cérebro que de certa forma é um Deus justo e bom.
  Mas esse papo esta muito chato, vamos falar de algo mais útil, fazer uma Terapia da Lógica.

  E se o “mal” for tão natural em nós quanto o bem?

  Sabem, eu sou preguiçoso, claro que sei que “Deus” não quer que eu seja assim, que não criaria alguém com o mal da preguiça, mas já orei muito, tentei 3 religiões e a preguiça não desaparece, sinto uma léseeeeira…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
  Sei que se tomasse anfetaminas a preguiça desapareceria, mas parando de tomar ela voltaria ou seja a anfetamina não é a cura só altera um sintomas pelo tempo que eu estiver a utilizando [lembram dos moderadores de apetite?].
  Essa alteração não é segura é algo como colocar gasolina de alta octanagem em um veículo não preparado para ela, seu desempenho por algum tempo irá surpreender, mas a vida útil do motor ficará comprometida.
  Logo, aditivos químicos no corpo ou em maquinas servem apenas para casos emergências, não podem virar uma rotina.

  O que a Filosofia sugere então?
  *Primeiro que o mal é natural em você, elimina-lo acabaria com sua “identidade própria”, isso é muito complexo, fica para outro dia.

  *Segundo, que seu equilíbrio Yin/Yang é uma assinatura espiritual ÚNICA então não tem formulas magicas para atingir esse equilíbrio, posso dar exemplos, mas o caminho é você que terá que trilhar com seus próprios meios.
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Já trabalhei em 2 empregos, mas hoje isto é inimaginável para mim.
  Não que me falte tempo, falta disposição, é, a preguiça.
  Para não seguir minha natureza “maléfica” me obrigo a trabalhar, mas para não ir muito contra essa minha natureza evito trabalhar em 2 empregos, o capital a mais não seria suficiente para equilibrar meu Yin/Yang.
  Vamos supor que meu lado mau seja violento, não seria civilizado eu sair por aí agredindo as pessoas, oras, eu poderia participar desses campeonatos de luta, temos inúmeras modalidades, participaria por “diversão”, mas vai que eu fosse bom em bater nos outros poderia até ganhar algum dinheiro com isso...melhor que bater na esposa e nos filhos desequilibrando totalmente meu Yin/Yang.

  Um último exemplo, você é ninfomaníaca, o seu lado mau é gostar excessivamente de sexo, oras, a prostituição ou participação em filmes pornográficos pode lhe render um bom capital e você ainda pode se divertir bastante.
  Se sua preocupação é não conseguir se casar pode perder esse MEDO.
  Já trabalhei em uma casa de Strip e não faltava pretendentes querendo casar com as meninas, você estando no lugar certo aparece o homem certo.
  O que não dá é você querer levar essa vida e pretender casar com um daqueles evangélicos fanáticos.

 Quero dizer que só você pode “auto filosofar” até que ponto o prazer compensa a dor.

  Não que todo prazer tenha necessariamente que ter uma dor como contrapartida, o oposto do prazer é o MEDO e não a dor, o sofrimento.

  Tive um colega que casou com uma prostituta que inclusive gerenciava uma casa no Itatinga, ele até “criava a atenuante” para os amigos de que ela só gerenciava, mas filosoficamente sabemos o quanto isso é pouco provável, se ela é “só” gerente hoje [isso já faz uns 10 anos] possivelmente não foi sempre assim.
  Não percebi nenhuma dor [queixas] além das naturais em um casamento.
  Observei 2 filhos saudáveis, muito parecidos com meu colega, aparentemente são filhos biológicos dele.
  Ele era fisioterapeuta [acho, já não me lembro bem] o casal tinha renda aceitável e viviam bem financeiramente, nunca conheci a esposa, mas ele aparentemente era um cara alegre de bem com a vida.
  Se meu colega e sua esposa são cérebros doentes, acho melhor que continuem assim desde que vivam satisfeitos, em paz, sem fazer mal para ninguém.
  Se estão deixando o Deus justo e bom triste… com tantos ladrões, assassinos, corruptos, ditadores sanguinários…

  É difícil ser religioso quando certas pessoas desprezíveis não são incineradas por raios…



anterior         <>              próximo

Postar um comentário