sexta-feira, 9 de maio de 2014

Pessoas que Sobem

  “As pessoas que sobem neste mundo são as pessoas que se levantam e procuram o que querem, e que, se não o encontrarem, fazem-no.”  [Bernard Shaw]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
   Clap, Clap, Clap!
  Ah! Que mundo magnifico este que o senhor Shaw nos traz.
   Portanto se você não é um importante diretor na empresa em que trabalha é porque não se esforçou o bastante, não levantou, não procurou, não construiu essa situação.
  Não importa os obstáculos, não importa as limitações, se você quisesse realmente ser diretor faria isso acontecer...acredite se quiser.
  Vamos falar de amor? Vem comigo!
  Ainda não conheci alguém que chegou aos 30 anos sem se apaixonar profundamente por alguém.
  Para ser ainda mais preciso é muito difícil encontrar alguém que tenha chegado até os 20 anos sem vivenciar esta experiência de ficar apaixonado
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Lembrei agora que minha irmã menos nova [ela não gosta de ser lembrada como mais velha...HAHAHAHAHAHAHA!] se apaixonou pelo vizinho e eu achava super engraçado ela ouvir Feelings de Morris Albert [alguém ainda se lembra?] olhando para a casa dele e chorando que dava dó.
  Ela conseguia ficar horas assim e eu pensava “quequéisso” minha gente!
  Meu primeiro amor aconteceu aos 11 anos, não, nada como o príncipe da Nihil ou a princesa do Frank, nem lembro mais direito o rosto da menina, mas estranhamente lembro seu nome Ângela M. Ferreira.
  Ela era uma das meninas mais bonitas da escola e estava entre as que tiravam melhores notas na classe, é, beleza e inteligência sempre me atraíram…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

  Do alto dos meus 11 anos entendi a dor no peito de minha irmã, “caí nos pés do vencedor para ser o serviçal do samurai”, mas diferente da música do meu amigo Djavan eu não estava nada feliz...

  Aquela “maldita” Ângela não me saía do pensamento.
  Um momento muito triste de minha vida foram as férias da quinta série, dois meses sem ver a Ângela, ô dor desgraçada, “um vazio se fez em meu peito e de fato em meu peito um vazio eu sentia”.

Nada consigo fazer
Quando a saudade aperta
Foge-me a inspiração
Sinto a alma deserta
Um vazio se faz em meu peito
E de fato eu sinto
Em meu peito um vazio
Me faltando as tuas carícias
As noites são longas
E eu sinto mais frio.
Procuro afogar no álcool
A tua lembrança
Mas noto que é ridícula
A minha vingança
Vou seguir os conselhos
De amigos
E garanto que não beberei
Nunca mais
E com o tempo
Essa imensa saudade que sinto
Se esvai  [Cartola]

  Maldito Morris Albert, maldito Lionel Richie, maldito Roberto Carlos… como podem perceber meu primeiro contato com o amor não foi nada agradável.
  O amor subverte a lógica e todos sabem o quanto isso me incomoda.
  Claro que não aconteceu absolutamente nada entre eu e a Ângela eu era tímido ao extremo.
  Como eu já conversava com meu amigo Platão acho que poucas pessoas vivenciaram tão intensamente o amor platônico quanto eu.
ºººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Voltemos ao pensamento de Shaw, vou concluir esse texto.

  O ponto é que esse sentimento forte que chamamos de AMOR em algum momento atingiu 100% das pessoas que conheço.

  Se o pensamento proposto por Shaw fosse observável dificilmente ocorreriam desilusões amorosas, porque levantaríamos, procuraríamos ou faríamos acontecer o relacionamento com a pessoa amada.
  Pouquíssimos casamentos acabariam, pois é muito raro um casal que dê esse passo do casamento sem desejar e esperar que tudo dê certo, que vivam felizes para sempre.
  Oras, se induzidos pelo amor somos movidos por sentimentos e ações tão poderosas e nem sempre conseguimos o que queremos então talvez você não ser diretor da empresa não seja necessariamente por falta de determinação ou empenho.
  Você deseja fortemente uma coisa, luta por ela, faz grandes sacrifícios, mas ela não acontece ou fica bem abaixo das expectativas.

  NÃO! Não pare de lutar, de correr atrás de seus sonhos apenas adquira essa CONSCIÊNCIA que o grande sucesso é uma exceção e não a regra.

Valorize mais o sucesso parcial.
  “Não tenho tudo que amo, mas amo tudo que tenho.”

  E o fracasso?
  Ah, o Fracasso! Assim como o Sucesso não há fórmulas magicas para lidar com ele.
  Que tal uma cerveja bem gelada? Uma feijoada caprichada? Um gostoso sorvete ou simplesmente caminhar em uma bela manhã, naquela hora que o friozinho faz nossa pele desejar intensamente o Sol.
  Tudo isso são apenas sugestões o importante mesmo é que mesmo que deite por algum tempo enquanto houver vida…NÃO DEIXE DE LEVANTAR!
  Um forte abraço! Boa sorte!

  CARPE DIEM!

“Eu quis lutar
Contra o poder do amor
Cai nos pés do vencedor
Para ser o serviçal
De um samurai
Mas eu tô tão feliz!
Dizem que o amor
Atrai...”   Clique Aqui




anterior         <>              próximo