sexta-feira, 13 de junho de 2014

Retratos

  “Eu não reconheço mais olhando as fotos do passado o habitante do meu corpo, este estranho duble de retratos”.
[Leoni]


  Minha vó Tidi não gosta de se olhar no espelho.
  Todos acham linda a velhice, não ela, não eu.


  Ela tem muito medo de morrer então encara a velhice como um mal menor.
  Eu a entendo perfeitamente o desconhecido assusta a maioria de nós, quem pode dizer sem uma ponta de insegurança [ou muita] que esta preparado para morrer?
  Entendo também sua relutância em se olhar no espelho, por anos ficou pendurado na parede de casa uma foto dela jovem, com seus 30 anos, uma belíssima descendente de espanhóis.
  Eu nunca gostei muito daquele tipo de foto, pois é daquela que a imagem parece nos seguir com os olhos, nunca fico confortável diante deste tipo de retratos, não gosto de “olhos me olhando” quando eles não são a janela de uma alma… outro dia explico.

  Quando olho nos olhos de minha vó vejo uma alma bonita que não merecia estar aprisionada em um corpo tão debilitado, tão enfraquecido, tão enrugado.

  Dei uma olhada passageira em uma novela que esta sendo reprisada [17/09/2011] a tarde na Globo, “Mulheres de Areia”, como é antiga, me chamou a atenção a transformação física que os atores passaram, e que todos nós passamos.
  Me desculpem a sinceridade, espero que não seja assim com todos, mas eu acho a transformação…deprimente.

  Os cuidados que tenho com meu corpo é uma forma de atrasar ao máximo essa transformação física provocada pela velhice.

  Sei que o que estou escrevendo vai contra toda literatura do politicamente correto e como sempre deve ter gente me detestando, mas não conseguindo parar de ler.

  É que no fundo de nossa alma todos sabemos que iremos envelhecer, mas ninguém quer ficar velho, ainda não conheci uma moça de 20 que queira ter as rugas da de 60.


  William Shatner foi um ator que marcou minha vida, ele interpretava o fascinante capitão James T. Kirk.


  Olhando sua imagem hoje eu não reconheço aquele intrépido comandante do passado.
  Será que Shatner consegue se olhar em paz no espelho?
  Será que a vida é só isso?
  Nascer, crescer e morrer.
  O que ele sente quando assiste o filme de quando ele era bem mais jovem?

  Dante dizia que: “Lasciate ogni speranza voi che entrate!’

  “PERCAM TODAS AS ESPERANÇAS. ESTAMOS TODOS NO INFERNO.”

  É senhoras e senhores, por isto me irrita tanto quando religiosos ainda nos ameaçam com um inferno.
  Mesmo que tudo ocorra maravilhosamente bem em sua vida [o que é bem raro] a partir dos 30 anos começamos a nos decompor.
  Eu tenho escrito muito a respeito das historinhas que decidimos acreditar sem pensar muito.
  Enquanto isso o tempo passa rapidamente, deve ser duro na velhice perceber que você viveu a historinha que alguém inventou deixando sua própria história muito pequenina.

  Minha vó Tidi é uma daquelas evangélicas fanáticas, passa horas em oração, deveria ter certeza da salvação e desta maneira não haveria razão para temer minimamente a morte.
  Mas minha vó tem muito medo, a crença nas historinhas diminuiu sua vida, a fez abrir mão de prazeres singelos como uma música ou dança que ela chama de coisas do mundo e em troca nem ao menos lhe tirou o medo da morte o que coloca em xeque sua “certeza” da salvação, a certeza de que as historinhas que viveu são verdadeiras.


  Quando me olho no espelho não reconheço meu corpo, nunca reconheci.

  Apenas me olho nos olhos e me vejo alma.
  Sempre vivi minhas histórias, então o tempo passa, mas sempre reconheço minha alma, relato as situações vividas na infância com o mesmo frescor das situações que aconteceram na semana passada.
  Se o meu corpo se decompõe minha alma continua integra e até mais sábia com o ganho de experiência.

  Espero que quando você envelhecer ao se olhar nos olhos veja “você mesmo” e não Lutero, Calvino, Constantino, Pedro, Paulo, um mestre chinês ou japonês qualquer.

  Se algo sobreviver, necessariamente terá que ser a sua história.

  Observando minha vó e seu terror diante da morte fico convicto que ela viveu até agora uma grande ilusão e fico satisfeito de não ter seguido pelo mesmo caminho.
  Sou um Livre pensador, estou escrevendo minha própria história, se Deus gostar quem sabe eu possa merecer ser aniquilado ou viver em paz minha história em um outro lugar, porque aqui na Terra faço coro ao meu amigo Dante, “estamos todos no Inferno”.
  Vamos dar o melhor de nós, tornar este mundo cada vez um lugar melhor 
para vivermos e contrariando o amigo Dante…

  NÃO PERCAMOS A ESPERANÇA!




Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário