sábado, 27 de junho de 2015

Mulheres Vazias

 “O dinheiro só impressiona mulheres vazias.
   Quando a mulher é trabalhadora e se sustenta, homem com dinheiro não significa nada!” [Post no G+]

Não é bem assim a não ser que a mulher seja TROUXA.

  Mulher bem posicionada deve dar “preferência” a homem bem posicionado.
  Imagine uma mulher que ganha 10 mil por mês casando com um homem que ganha 1 mil sem grandes perspectivas de melhora.

  CLARO QUE ELE VAI ACABAR USUFRUINDO DAS CONQUISTAS DELA.

  Se a mulher realmente está apaixonada por esse indivíduo e acha que vale a pena...tudo bem.
▬▬▬//▬▬▬
  Uma das coisas mais difíceis para eu, como filosofo, é meditar sobre coisas que não vivi.
  Por exemplo, eu nunca tive muito dinheiro, a pobreza mais aguda eu já vivi, a riqueza para eu é sempre uma “especulação.”
  Eu analiso a vida e comportamento de quem tem muito dinheiro e tento me colocar no lugar daquela pessoa.
  O que eu faria?
  Escrevendo assim parece um processo simples, mas não é.
  Quando eu passo/vivo alguma coisa eu tenho que submeter meus sentimentos a lógica.
  Imagine que eu fui discriminado por algum motivo.
  Isso provoca em mim um sentimento, vontade de xingar ou bater em quem me discriminou.
  Eu pego esse sentimento e submeto a lógica, analiso a situação e chego à conclusão que não vale a pena estragar meu dia pela ignorância de um cidadão. [Claro que a conclusão pode ser outra]

   Quando eu vejo alguém ser discriminado eu tenho um arquivo mental de como é esse sentimento.
  Evidente que ninguém é igual a ninguém, mas tenho uma empatia com o indivíduo.

Empatia, capacidade para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela.
  Consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.

  Quando você nunca passou por uma situação o processo de empatia fica invertido.
  Você não tem em sua mente o arquivo daquele sentimento então racionaliza, usa a lógica.
  Entretanto você sabe que tem que pôr sentimento na análise daquela situação, então você especula sobre o que a pessoa pode estar sentindo.
  Você pega a lógica e submete ao sentimento.

  Temos uma frase muito eficiente para ilustrar esse plano de pensamento:
No “dusotro” é refresco.

  Ser racional com o problema do vizinho é bem mais fácil.
  O chifre no vizinho por vezes é até engraçado, quando é sua parceira que entrega marmita pra fora...
▬▬▬//▬▬▬
   Outro dia continuaremos flutuando por esse plano de pensamento, agora vamos aplica-lo na situação que trata esse texto.
  Alguém que nunca casou ou teve um relacionamento sério é evidente que não sabe o que é levar um pé no traseiro...não tem arquivado esse sentimento.
  Tem o lado oposto também.
  Alguém que nunca casou ou teve um relacionamento sério, não sabe como é ruim quando o amor/paixão acaba e você quer terminar com a pessoa.

  A mulher que ganha bem e está disposta a agir movida apenas pelo sentimento “amor” deve especular sobre a possibilidade de um dia essa união acabar, casamentos acabam.
  Deve submeter seu sentimento a lógica.
  Vamos aos números?
  Casamentos duram em média 15 anos.
  Em 2012 o Brasil registrou 341.600 divórcios.
  Vejam bem que o divórcio é um tramite legal para casais que optaram por uma união estável.
  O que vemos de namoro de 3 ou 4 anos que são desfeitos deve ser levado em consideração para chegarmos a dedução que:

“O mais importante é o verdadeiro amor.”

  É uma frase muito eficiente para nos colocar em grandes enrascadas.
  Em caso de separação a casa que a mulher comprou terá que ser dividida em 50%.
  Bens conseguidos depois do casamento são do casal...no regime de casamento mais convencional.
  Um imóvel ou outro bem que você compra em seu nome é seu de verdade... não dá para comprar o “amor verdadeiro” e colocá-lo em seu nome como sua propriedade.

  Então cuidado com esses posts “românticos/moralistas”, dinheiro sempre significa alguma coisa:

  “Pela estranha escala de valores de muitos pensadores, os mendigos são o ápice da evolução humana, algo que todos nós deveríamos desejar ser, ter um desapego total de bens materiais” [Ter & Ser]
   [Prefiro permanecer burguês.]


Se ela for trouxa é verdade.


Anterior          <>        Próximo