sábado, 22 de agosto de 2015

Aborto em Cuba

 “O aborto legalizado é o grande responsável pela diminuição da criminalidade em Nova Iorque.” [Freakonomics]

  Uma grande dificuldade que tenho é fazer as pessoas pensarem em 3 dimensões, eu chamo de pensamento 3D.

  Geralmente as pessoas pensam de maneira linear.
  Escolhem algo para santificar e o que se distanciar disso vai sendo demonizado, como se o raciocínio se limitasse a uma reta.
  Na natureza as coisas não acontecem dessa maneira.
  Vamos dizer que agua e fogo sejam opostos por suas características.
  O fogo é o inferno, tudo de mal, quanto mais quente pior?
  A agua é o paraíso, tudo de bom, quanto mais agua melhor?
  Claro que esse pensamento linear é ineficiente.
  A agua e o fogo podem ser uteis ou mortais nas mais diversas situações/dimensões.
  Sem agua a vida como conhecemos não existiria, mas sem Sol também não.

  Tem pensadores que demonizam Cuba e outros a santificam.
  Tem pensadores que demonizam o Estados Unidos outros o santificam.

  Eu prefiro o Capitalismo/Liberalismo então simpatizo muito mais com a forma de viver americana que a cubana.
  Se eu tivesse que escolher entre morar em Havana e morar em Miami minha escolha é óbvia.
  No entanto não vejo Miami como o paraíso na Terra assim como não vejo Havana como o inferno.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O Partido Comunista do Brasil nos mostra Cuba como um dos melhores países do Continente Americano, vamos analisar um pouco esse paraíso saindo da linearidade da santificação ou demonização:

   “Um outro dado que comprova a qualidade e universalidade do acesso à saúde em Cuba, por exemplo, é a taxa de mortalidade infantil (quantidade de crianças com menos de 1 ano mortas entre 1000 nascidas).
  Neste critério, Cuba lidera o ranking das Américas, empatando com o Canadá e ultrapassando os EUA na última década.
  Esse dado torna incontestável o sucesso da ação governamental deste país nesta esfera.
   O motivo principal do alto desempenho cubano com relação a esta área revela-se facilmente: Durante praticamente todos os anos desde 2000, Cuba é o país das Américas que mais vem investindo em saúde.
  O percentual do orçamento para essa pasta em relação ao PIB estava ao redor dos 10% em 2010 (último ano com registro), com histórico de crescimento significativo na última década (em 2000, correspondia a aproximadamente 6%).” [Partido Comunista Brasileiro]

  Não dá para dizer qual a porcentagem do PIB Cuba aplica em saúde porque não temos como saber qual é o PIB de Cuba.
  Os irmãos Castro passam para o mundo o que bem entendem, não há nenhuma maneira de auditar os números, temos apenas que confiar.
  Não vamos demonizar esse fato, lembremos que recentemente a Grécia maquiou suas contas para receber mais empréstimos e deu no que deu.
  Aqui no Brasil foi tanta maquiagem que confesso que o que está acontecendo me surpreendeu, eu sabia que estávamos ruins, mas aparentemente nosso Governo “dobrou a meta”.

  Desse modo vamos dar um voto de confiança aos Castro, suponhamos que os números apresentados sejam bem próximos da realidade.
  A meu ver existe um motivo muito mais significativo para o índice de mortalidade infantil em Cuba ser baixo.

  Cubanos matam as crianças antes de nascer.

  Claro que estou sendo dramático, mas o fato é que o índice de abortos em Cuba e altíssimo, há poucas restrições.

  “Em Cuba o aborto é legalizado desde 1965.
  A mulher grávida pode abortar sem restrições até a 10ª semana de gestação, sem precisar de um motivo para isso.
   De acordo com o médico cubano Miguel Sosa, presidente da Sociedade Científica Cubana para o Desenvolvimento da Família (SOCUDEF), o aborto em Cuba "é fácil, seguro, cômodo e gratuito", porém o país "considera o aborto como um problema de saúde e quer lutar para reduzi-lo
   Antes de 1959, provocar um aborto só era legal em caso de perigo de vida à mulher grávida, em caso de estupro ou pela transmissão de doenças hereditárias, porém era frequentemente praticado ilegalmente como método contraceptivo.
  Em 1961, o Ministério de Saúde Pública adota uma interpretação do Código de Defesa Social que amplia o acesso ao aborto em todos os hospitais do Sistema Nacional de Saúde (SNS), onde o atendimento era gratuito.
  Em 1979, um novo código penal é publicado, e o aborto se torna gratuito e é realizado a toda gestante que o solicitar ao SNS.
  Em um estudo realizado entre 1991 e 1993, 249 mulheres cubanas grávidas realizaram um aborto, seja ele cirúrgico ou medicamentoso, desde que menos de 56 dias tivessem passado desde o início de seu último ciclo menstrual.
  Quase todas as mulheres que escolheram o aborto cirúrgico o fizeram por ser mais simples e rápido, 44% disseram que o escolheram por ser menos doloroso.
  Do outro lado, 69% das mulheres que escolheram o aborto medicamentoso o fizeram por considerá-lo mais seguro, e 44% por não ter que passar por cirurgia. As mulheres podiam escolher até três motivos. [Wikipédia]

  Tem outro fator não mencionado nessa matéria.
  Testes são feitos e ao menor sinal de má formação do feto a mulher é até incentivada a abortar.
  Em Cuba na dúvida se a criança será saudável ou não... aborta-se.
  As vantagens desse procedimento são incontestáveis cientificamente, se deixarmos de lado conceitos morais poderia ser adotado no mundo todo.
  Crianças que nascem com problemas dão um custo enorme a qualquer sistema de saúde.
  Se elas exigem muitos cuidados a mulher deixa de trabalhar e não raro ainda recebe um salário do Governo.

  Se você só deixa nascer crianças saudáveis é evidente que a mortalidade infantil diminui.

  Mas isso esquerdistas não divulgam, acham o alto índice de aborto em Cuba um dado tão insignificante que nem merece ser levado em conta.
  Você concorda dom eles?
  [Não estou perguntando se você é contra ou a favor do aborto, estou perguntado se você considera o aborto em Cuba um dado insignificante.]

  O aborto em Cuba apresenta outras duas vantagens científicas.
  Com o índice de natalidade baixa a população de Cuba não cresce muito, ainda mais para uma ilha isso é muito interessante.
  São menos indivíduos para consumirem os recursos naturais da ilha.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Vamos para um plano de pensamento mais interessante e menos científico, mas bem observável.
  Geralmente quando sabemos que uma pessoa e filha única temos o preconceito que foi uma criança mimada, esse é um estereótipo, mas como sabem estereótipos não surgem do nada.

  O filho único por ser único concentra toda atenção dos pais.

  Em Cuba há anos os casais tem em média 2 filhos a taxa de natalidade ali é 1,46.
  Esses pais dão a seus filhos do bom e do melhor ... de acordo com o que é possível dar em Cuba.
  Então não tem crianças em semáforos e orfanatos na proporção que tem em outros países.
  Eu e minha esposa temos apenas duas filhas, para elas venderem bala em um semáforo... só se acontecer algo muito, mas muito grave com nós.
  Não tenho como negar que elas foram mimadas.
  Roupas, passeios, material escolar da moda...

  Quando você planeja/deseja um filho o recebe com muito amor.
  A mulher cubana só tem o filho que quer ter.

  Não sejamos hipócritas.
  Claro que nenhuma criança tem culpa de nascer se nasceu você cria.
  Mas é bem diferente ser recebido com festa ou como um problema.
  Suponhamos que você mulher está namorando faz algum tempo e já está certa que não vai casar com o cidadão só está criando coragem para acabar o relacionamento nesse interim engravida.
  Uma cubana não teria dúvidas... é aborto.

  Ou o inverso, você gosta do cara mas o sente cada vez mais distante se interessando por outra e acontece a gravidez.
  Fala com ele que está gravida e o cidadão prefere que você aborte.
  Criar um filho que o próprio pai está renegando não é uma situação desejável.
  Uma cubana possivelmente abortaria.

  Você foi pular carnaval, bebeu um pouco mais da conta e fez um sexo casual, engravidou, para uma cubana é aborto.

  Fica claro que as crianças em Cuba nascem de casais bem mais estáveis em um ambiente mais seguro e isso faz toda a diferença.
  Logo, se você quer acreditar nesse papinho sobre investimento de Cuba em saúde e educação tudo bem...pode ser.

  Mas me parece que a boa educação e saúde das crianças cubanas está mais ligado a famílias mais estruturadas graças ao planejamento familiar.

  Claro que não defendo o aborto como forma de planejamento familiar ou método anticoncepcional temos outros eficientes métodos.
  A pratica do aborto que os Socialistas chamam de “progressista” eu chamo de “mal menor”.
  Eu prefiro que os homens usem camisinha e as mulheres tomem pílulas, na minha opinião é muito mais civilizado.
  Mas diante de colocar uma criança no mundo em péssimas condições de vida o aborto é um “mal menor”.

  Vejam bem que apesar de eu ser Capitalista/Liberal vejo algo bom em Cuba, com a baixa produtividade do Comunismo manter a população reduzida é uma “solução”.
  A China só tirou tantas pessoas da miséria porque adotou muitas praticas do Capitalismo, mas a luta do Governo para reduzir as famílias é do conhecimento de todos.

  O aborto deveria ser o último recurso a ser utilizado para não ter filhos?
  Claro que sim, não pense linearmente, não estou fazendo nenhuma apologia ao aborto.
  Como eu posso ser contra e a favor do aborto ao mesmo tempo?
  Se você não tentar pensar em 3D não tem como entender.
  Sou contra o aborto, mas sou mais contra uma criança vir ao mundo sem o amor de um pai e mãe.
  Quem ama cuida.
  Um cidadão que não cuida direito nem de si mesmo, vive em condições precárias, traz uma criança no mundo na esperança que a Sociedade/Governo se responsabilize totalmente... não me diga que isso é amor...em nenhum plano de pensamento consigo visualizar isso.
  De certo em uma comunidade Socialista como Cuba a criança tem uma enorme interferência do Estado, mas nada substitui os cuidados dos pais.

  “Filhos e animais de estimação precisam de atenção e carinho, não os confunda com bichinhos de pelúcia.”  [Joze de Goes] 
  Que bom que essa frase fosse medíocre por dizer uma obviedade...quem sabe um dia seja.

   Um mundo sem abortos e com filhos sempre muito amados, desejados, BEM CUIDADOS.




Anterior          <>        Próximo 
Postar um comentário