sábado, 3 de fevereiro de 2018

Mente Aberta

👧“Bom dia, William, posso compartilhar alguns itens dos seus textos?
   Acho que as pessoas devem ter acesso a informações mais detalhadas, e você é uma fonte fortíssima, diga-se de passagem, talvez a única fonte no Google.
[Comentarista no G+]

  Fiquei lisonjeado  com esse comentário(exagerado), mas me provocou a sair  em defesa dos sites de busca.

    Os sites de busca democraticamente nos apresentam tudo, o problema é que muitos só olham para o que querem ver.

  Procuram apenas por noticias/postagens que reforçam  suas opiniões.

  Católicos priorizam qualquer coisa que exalte a crença deles e ignoram o  que lhes for incomodo.
  Protestantes, Kardecistas, ateus, comunistas, capitalistas ...fazem o mesmo.

    Se um Islâmico se interessar de fato sobre como é a vida no Ocidente “talvez” muitos de seus preconceitos sejam desfeitos, mas se ele limita sua visão aos ditames do Corão...fica difícil.
  Ele vai olhar para nossas mulheres e enxergar só “piranhas” e “vagabundas” (por exemplo).

  O mesmo serve para o Ocidental que olhar só para os radicais islâmicos, verá islâmicos como psicopatas sempre prontos a se explodirem.

  O cristão em geral não quer ler nada que questione a perfeição de Cristo, se por acidente em uma busca deparar com um vídeo ou texto colocando em dúvida certas ações praticadas por Jesus simplesmente ignora ou da uma lida por cima sem meditar, diz que não tem nada a ver e segue adiante.

  Já li muitos livros, era rato de biblioteca, eu lia de tudo, não só o que minha “cultura local” achava certo.
  Nos sites de busca uso o mesmo processo.
  Vejo argumentações a favor e contra sobre qualquer situação.
  Como sempre gostei de filosofia “talvez” consiga filtrar melhor, no entanto faço questão de colocar dados que estão facilmente acessíveis nos sites de busca, facilita a pesquisa de quem lê.

  Não adianta eu indicar um livro de Blaise Pascal o qual a pessoa não tem e não irá comprar só para debater.
  Cito com certa frequencia a Bíblia porque praticamente todos tem em casa e sua localização por versículos é bastante eficiente.

   Os dados que coloco no Blog estão nos sites de busca, ferramentas excelentes,  esses sites democratizam e facilitam o acesso ao CONHECIMENTO de uma forma jamais vista na humanidade.

  Um bom exercício para melhorar a qualidade de suas opiniões é coloca-las a prova.

  Como se faz isso?
  Lendo ou debatendo com quem tem opinião diferente da sua.
  É preciso ter a mente aberta, se a pessoa apresenta  um argumento melhor que o seu ... reconheça.
  Se "lhe parece" que o outro argumento é melhor, mas esta em duvida, fique em silêncio, faça uma pausa para meditar/pesquisar.

  [Muitos ficam xingando ou repetindo  o que já disseram mesmo depois de mostrado que não faz sentido ou é falso.]

  O silêncio só é proveitoso se for acompanhado de meditação.
  (No sentido de aceitar mudar sua opinião.)

  Vamos a um exemplo prático.

  No começo da minha vida profissional, no meu primeiro registro em carteira, de vez em quando era chamado para fazer hora extra.
  Evidente que fazia para ganhar  algum dinheiro a mais no final do mês.
  Na minha opinião fazer hora extra era uma forma muito eficiente de aumentar meus rendimentos.
  Tinha  14 anos, um cara de uns 30 falou algo que mudou muito minha vida porque mudou minha opinião, meu jeito de olhar para hora extra.
  Ele fez uns cálculos os quais não  lembro mais os valores vou trazer aproximadamente para os dias de hoje.

  Não ganhava bem, era mais ou menos um salário e meio.
  Para facilitar os cálculos e visualização digamos que fossem mil reais.
  Entre o final de expediente e o início efetivo das horas extras tínhamos 30 minutos de intervalo.
 
  Eu e um colega (Noel Euclides ) íamos a um bar próximo, consumíamos lanche e refrigerante.
  Voltávamos a empresa para trabalhar mais 2 ou 3 horas.

  Vamos fazer as contas.
  1000 : 30 = 34 reais por dia, aproximadamente o que eu ganhava.
     34 :   8 = 4,25 era o que ganhava por hora.

  Cálculo que um refrigerante  e um lanche bem simples de pão  com mortadela não saiam por menos de 10 reais.

  Trabalhando 2 horas eu ganharia R$ 8,50
  Trabalhando 3 horas eu ganharia R$ 12,75
  
  As horas extras valiam um pouco mais, de qualquer forma... 
  Aquele colega mais velho me mostrou  que o dinheiro de duas horas extras estavam sendo gastos no bar.
  Só ganhava alguma coisa se fizesse 3 horas extras.
  Eu estava sacrificando 3 horas e meia para ganhar apenas 1.
  
  Para outros aquilo entrou por um ouvido e saiu por outro, mas para eu ... fiquei em silêncio, ele não podia estar certo, mas estava.
  Se o motivo de eu fazer hora extra era essencialmente dinheiro ... fazer aquele lanche no bar tornava o processo bastante ineficiente.

  Fazer hora extra estava sendo útil para empresa, bom para o dono do bar.
  Meu "lucro" era um refrigerante e pão com mortadela...
  Não parei de fazer hora extra, enganava meu estômago com bala ou algum doce barato como paçoquinha.

  O argumento/observação do meu colega mudou minha minha maneira de agir porque eu estava com a mente aberta.

  Até hoje quando vou comprar alguma coisa faço os cálculos de quantas horas de trabalho aquilo me custará.
  NÃO sou paranoico, não faço esse cálculo com itens  essenciais  como água,  luz, alimentação ... com "supérfluos" faço.
  Isso me fez ficar muito responsável com meus gastos, adequar meu padrão de vida ao dinheiro que consigo ganhar.


  Enfim...
  Atualmente é bem difícil alguém apresentar argumentos melhores que os meus em qualquer questão.
  Não porque tenho um intelecto superior, mas porque sempre mantive a mente aberta.
  Joguei muitas opiniões fora, só  fiquei com os melhores argumentos.

  








👨 “Pensar sempre dói.”
[Comentarista no Face]          
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  No geral observo que “não pensar” dói mais.
  O problema é que essa dor do não pensar demora pra se fazer sentir.
  Você vai ao shopping hoje, compra um celular de última geração (caríssimo aqui no Brasil).
  Um ato intempestivo, sem pensar.
  Por um mês vai ficar tudo bem, muita alegria com a novidade.
  Quando a fatura do cartão chegar e não tiver meios para honrar, vai doer bastante.