sexta-feira, 8 de junho de 2018

Sacrifício de Maria

    Um dos personagens mais interessantes do Novo Testamento "na minha opinião" é Maria.

  Ser corajoso quando você tem super poderes é  fácil.
  Pense no Superman.
  O cara tem pele resistente a tiro, voa, tem visão de raio X e raio laser, tem super força.
  Com poderes iguais a esse eu enfrento o PCC e o Comando Vermelho juntos.
  Quando você é um mero mortal a situação fica bem diferente, até o bandido do mais baixo escalão desses grupos criminosos é um desafio quase intransponível para um pacato cidadão.



  Maria foi essa pacata cidadã que teve que enfrentar situações difíceis.
  Começa com uma inseminação atípica.
  Imagine que você mulher está em seu quarto e um "anjo" diz que "Deus" vai te engravidar.
  A princípio parece uma decisão simples, mas como ter certeza que é mesmo um anjo?
  Nesse universo bíblico de varias entidades como uma humana teria certeza se tratar de anjo e não demônio?
  Se tratar de um pedido do Deus de Abraão e não de um engodo de Lúcifer.
  Estamos falando de gerar um filho, as consequências em nosso mundinho humano não são desprezíveis, se colocarmo isso em termos de um "marco espiritual" tudo fica ainda mais complicado.

  No entanto não vamos "valorizar exageradamente" a inseminação de Maria.
  Lembremos que ela tinha 15 ou 16 anos, com essa idade não se tem muito juízo.
  Se era uma mulher cheia de fé nem por um segundo colocaria em duvida que a entidade a falar com ela não fosse um anjo enviado pelo próprio Deus.

  Estou escrevendo isso porque ao nos colocarmos no lugar de outras pessoas por vezes "imaginamos" um prazer ou sofrimento que não houve.
  Exemplo rápido:
  Para eu, ter filhos foi uma decisão muito pensada, planejada.
  Se eu engravidasse uma moça fora do casamento seria um caos.
  No entanto uma enormidade de pessoas transam sem essa preocupação.
  Se acontecer uma gravidez ... depois veem o que fazem.
  
 (Essa meditação tem por objetivo analisar o personagem Maria, não é um "texto de adoração".)

  Outra passagem muito "dramatizada" pela tradição cristã é o parto de Jesus.
  A maioria pensa que Maria e José estavam "fugindo" de Nazaré as pressas, mas isso não corresponde ao que esta narrado na Bíblia.
  Eles estavam indo a um censo e provavelmente a bolsa rompeu.
  Naquele tempo não tinha SAMU 192, táxi/Uber 😊
  Se ajeitaram onde deu. 

    A valorização exagerada do parto de Maria pode ser uma falha de interpretação:

  “Segundo o Evangelho de Mateus, grávida de nove meses, Maria viajou montada em um burro de Nazaré na Galileia até Belém na Judeia, onde Jesus nasceu.
   A distância de quase 100 km era uma enormidade para a época.
   É pouco provável que José submetesse a esposa a esse sacrifício com o objetivo de participar de um censo.
   Faz mais sentido que a Belém do nascimento seja a existente na  Galileia, que fica apenas 7 km de Nazaré".

  A real dificuldade veio depois do parto.
  O rei Herodes (segundo o relato bíblico) ordenou o massacre de todos os garotos com menos de dois anos da cidade, mas a família de Jesus conseguiu escapar para o Egito, depois que Herodes morreu, voltou para Nazaré.

  Observe que nessas ocorrência quem passou por dificuldades foi o casal Maria e José.
  Jesus como qualquer outro bebê não tinha consciência dos acontecimentos, não podemos dizer que "sofreu".
  E aqui entramos  em outra dramatização enorme sobre a vida de Jesus.
  Se você ler a Bíblia verá que de fato Jesus só sofreu nos últimos dias de vida, em tudo que envolveu a crucificação.
  Fora disso teve uma vida normal para aquela época.
  Penas terríveis eram comuns naqueles tempos, a crucificação não foi algo criado exclusivamente para punir Jesus.

  De certo quem mais sofreu foi Jesus, mas imaginem a dor de Maria ao ver seu filho sendo humilhado, crucificado, morto. 
😢
 Você que é mãe ou pai imagine a dor.
 Se ao menos seu filho tivesse cometido um crime "hediondo" haveria algum consolo, "fez esta pagando".
  Mas ver seu filho submetido a um sofrimento extremo por desavenças banais é insuportável.

 Enfim, a vida de Maria foi complicada demais.
 Ela foi mãe biológica do "rei dos reis", mas em nenhum momento teve uma vida de "realeza". 

  Vamos para a parte mais interessante...

    Se Jesus não tivesse ressuscitado os apóstolos teriam levado adiante o Cristianismo?

  Não dá pra saber.
  São Tomé de certo não prosseguiria.
  Pedro que o negou 3 vezes prosseguiria?

    Se Jesus (depois de morto fisicamente) não tivesse aparecido para Paulo, será que ele seria um cristão tão fervoroso?
  Minha aposta é que não.

 “A conversão de Paulo pode ser datada entre os anos de 31 e 36 pela referência que ele fez em uma de suas epístolas.
  De acordo com os "Atos dos Apóstolos", sua conversão ocorreu na "estrada para Damasco", onde ele afirmou ter tido uma visão de Jesus ressuscitado que o deixou temporariamente cego.”

   Da mesma forma...

  Maria seria um personagem menor com relação a doutrina Cristã.
  Afinal não sabemos de nenhum Evangelho de Maria.
  Ela foi mãe biológica de Jesus e ponto.
  O upgrade no personagem Maria ocorreu depois da sua morte biológica.

  As aparições de Maria criaram uma verdadeira revolução dentro do Cristianismo.

  Não dá nem pra dizer que foi armação da Igreja Católica.
  Quem conhece historia sabe de quanto a Igreja lutou contra o culto a Maria.
  O sexo feminino tradicionalmente ficava em segundo plano no Cristianismo, nem liderar uma "missa" era permitido.
  A principio a Igreja considerava as aparições de Maria truques de trambiqueiros ou manifestações de demônios.
  Porem, os fenômenos foram se sucedendo e alguns eram difíceis de dar alguma explicação coerente.
  Chegou um momento que a Igreja Católica teve que se curvar ao culto publico a Maria.
  O movimento que já era fortíssimo passou a ser chancelado pela poderosa instituição.
  E aqui estamos nós, no século 21 com a personagem Maria firme e forte.
  O que eu posso dizer...
  Vida longa e próspera a "entidade" MARIA DE NAZARÉ.
  Se não é contra nós, espero que seja por nós.
  Amém?





“Ave Maria cheia de graça
O Senhor é convosco,
Bendita sois Vós entre as mulheres,
E bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Jesus,
Rogai por nós pecadores,
Agora e na hora da nossa morte.”




.