sábado, 23 de maio de 2015

Terror Noturno

  “Eu achava que não era possível! (Controlar os sonhos) qualquer pessoa que tenha interesse pode realizar esse tipo de coisa?”  [Post no Face]

  Qualquer pessoa pode compor como Djavan?
  NÃO.
  Mas a grande maioria das pessoas podem compor alguma coisa:

  “Florentina, Florentina, Florentina de Jesus...”

  Para controlar os sonhos [tanto quanto possível] um bom exercício para iniciantes é deitar sempre no mesmo horário.
  Pelo motivo simples que não percebemos quando começamos a dormir e esses minutos que antecedem o transe do sono são fundamentais para um direcionamento.
   Vamos supor que você deite todo dia ás 22 horas e demore 15 minutos para entrar no sono.
   Ás 22:05 comece recitar um direcionamento. [Crie um “mantra” curto]
   “Estou na praia.”
   É importante que quando o transe do sono entrar ele encontre um “firme propósito”.

    Quando você começar a sonhar com o que quer, pode ir aprofundando suas experimentações.
   “Estou na praia com minha avó.”
   [Não importa se ela está viva ou morta]

    Entretanto, tome cuidado com o que deseja, eu descobri que os sonhos não são só projeção de nossa mente, “me parece” que realmente pode acontecer um desdobramento para outra dimensão.
  Você já não sabe onde está, se apenas dentro de sua própria mente ou se está em contato com outra.
   Minha “última” viagem foi assustadora, nunca mais me interessei por isso.
  Tudo começou quando eu nasci, meu mal foi ter nascido...HAHAHAHAHAHA!
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Desde que me reconheci como ser pensante
tinha pesadelos terríveis.
   Quando muito mais tarde ouvi a expressão terror noturno sabia exatamente o que queria dizer.
  Eram muitos pesadelos alguns recorrentes, eu nunca fico muito à vontade ao relembra-los, lá no fundo tenho medo que voltem.
  Faz alguns anos eles voltaram, foi uma dura batalha.
  Vamos ficando enferrujados em habilidades que não praticamos.
  Retomar minhas habilidades para controlar sonhos não foi nada fácil, espero que não aconteça uma próxima batalha.
  Estou mais experiente, mas me sinto mais fraco, muito, muito cansado...
 
  Todos os sonhos começavam tão inocentes tão bonitos eram um flutuar por entre as nuvens e paisagens, não entrarei em detalhes vou resumir bastante 3 deles:

1-  Estava com meu primo e meu irmão na frente da casa da minha avó, brincávamos alegres e descontraídos com bolinhas de gude.
  Notamos que havia um pedaço de caixa saindo para fora da terra, poderia ser uma arca do tesouro cavamos um pouco e para nossa surpresa a terra começou a sair sozinha.
  A caixa era um caixão que foi emergindo da terra, meu irmão e meu primo saíram correndo fácil, mas nesses sonhos eu geralmente ficava sem forças, não conseguia correr.
  O caixão se abriu e lá havia um homem me olhando, quando eu estava caindo dentro do caixão consegui alguma força e corri para minha casa que ficava no fundo da casa da minha avó.
  Eu abri a porta e entrei em casa... de repente a porta de casa não era à porta de casa, era a porta do caixão eu corri de encontro ao defunto que me pegou e eu morri.

  Morrer nesses sonhos era bem comum, quando eu morria acordava péssimo encharcado de suor, aterrorizado.
  Meu coração batia tão rápido era como se crescesse e entalasse em minha garganta.

2-  Eu e meu primo estávamos no quintal enquanto conversávamos com uma moça que visitava algum familiar.
  Meu primo Mauricio era como um irmão, crescemos no mesmo quintal.
  Eu era bem criança, não tinha nenhum pensamento sexual, mas a moça era jovem e muito bonita.
  Perguntamos a idade dela e nos disse que tinha 400 e tantos anos, se não me falha a memória eram 428.
  A princípio pensamos que era brincadeira rimos, ela era bonita e burra, mas sempre tem o mas, a moça foi se transformando, quando a aparência dela já estava lá pelos 200 anos...pernas para que te quero.
  Corri o máximo que pude, quando acreditei que estava salvo olhei para trás.    
  A mulher já com uma aparência monstruosa de 400 anos estava magicamente perto tentei correr não deu tempo, seu braço alongou, sua mão cresceu e agarrou meu pescoço.
  Me ergueu pelo pescoço tirando meus pés do chão, ela me enforcou e eu morri.

3-  Tive uma infância bem pobre, minha mãe não tinha a mais remota condição de comprar um carro, mesmo assim sonhei que minha mãe estava dirigindo e eu estava no banco de trás.
  Tudo ia bem até que numa curva eu transpasso as paredes do carro e caio em um buraco muito escuro e íngreme.
 Só escuto o som do carro se afastando.
 Começo a escalar o buraco e nisso um animal estranho vem em meu encalço, não consegui sair do buraco, ele me alcançou e eu...morri.
  [Esse foi um sonho recorrente, não sei dizer quantas vezes aconteceu, sempre com o mesmo desfecho]

   Minha mãe dizia que eu era sonâmbulo, talvez eu até fosse, mas o que me lembro é que acordava apavorado e corria para cama dos meus pais.

  Foi para combater o terror noturno que comecei a tentar controlar meus sonhos e esbarrei por engano em viagem astral.

To be continued...


Anterior          <>        Próximo