quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sobre a Esperança


  “Se você acha que a instrução é cara, experimente a ignorância.”
[Benjamin Franklin]

  Empresas grandes tem muitas “mulheres da limpeza” (homens também), na maioria das vezes são terceirizadas, elas estão ali, mas “não são dali.”

  Para sustentar 5 filhos minha mãe fez muito esse tipo de serviço, com pouca escolaridade não conseguia coisa melhor.
  Não sei o que tornou a vida da minha mãe mais difícil, não estudar ou ter muitos filhos.
  Não tenho como culpar a sociedade/sistema por esses ocorridos.
  Minha mãe dizia que não gostava de estudar.
  Engravidou na adolescência, meu pai era um garoto sem muito juízo ... a história clássica de tantas famílias que passam por grandes dificuldades.

  Estou escrevendo isso porque quando vemos uma moça que engravidou na adolescência e se encheu de filhos atribuímos responsabilidades a todo mundo menos a ela.

  Superei, mas por algum tempo não gostava de olhar para as mulheres da limpeza.
  Não, não era nenhum tipo de discriminação ou arrogância é que minha mente sempre ia para aquele lado escuro da Filosofia onde a tristeza se faz companhia constante.
  Para não ficar deprimido procurava olhar direto em seu olhos, não queria ver o “todo” da situação.
  O que me entristecia?
  Lembrar das dificuldades da minha mãe.
  Claro que era uma reação emocional exagerada da minha parte, o fato de uma situação lembrar dificuldades na minha infância não significa que ela ocorra de fato na vida de outra pessoa.
  Entretanto, a não ser que ocupe cargo de supervisão, a mulher da limpeza ganha pouco.
  Seu serviço é importante, mas não exige grande estudo, qualificação.



  De família pobre busquei estudar o máximo possível (dentro e fora da sala de aula).
  A minha volta todas as crianças pobres entendiam que se quisessem ter uma vida melhor precisavam adquirir conhecimento, para ficar bom em alguma profissão, progredir em alguma empresa ou até mesmo iniciar o próprio negócio.
  Mas muitos optam por “viver a juventude”, escola é uma coisa muito chata ou lugar de zoação.
  Quem está lendo esse texto de certo é alfabetizado e frequentou a escola, puxe pela memória, muitas crianças/adolescente optam pela ignorância.
  Tem a moça que se esforça nos estudos e a que prefere ficar dando um malhos na esquina.
  Tem o rapaz que se esforça nos estudos e o que prefere a introdução as drogas.

  Quando vemos alguém com pouco estudo automaticamente vem na mente a “falta de oportunidade”.
  Claro que isso ocorre, mas demorei para entender que não é o que mais ocorre.
  Tirando alguns locais de difícil acesso, a grande maioria das nossas crianças tem acesso a sala de aula.
  Você com pouquíssimo estudo seja sincero, se dedicou o suficiente para prosseguir na escola?
  Minha esposa (por exemplo) simplesmente parou de ir na escola depois de se desentender com o professor de matemática, depois com alguma pressão minha voltou a estudar e graças a isso ganhar mais que eu 😄
  Minha irmã também parou de ir na escola porque o namorado “Toninho” (acho que era isso) saiu.
  Depois voltou a estudar, se formou em Letras e ganha mais que eu 😄

  É, eu mesmo estudando pra caramba consegui ser um fracasso ... a vida tem dessas coisas.
  Mas se não tivesse adquirido tanto conhecimento aposto que minha vida seria ruim.
   (Apesar de tudo vivo bem)


   Veja um caso:

   “Ontem” no Shopping [03/03/2011] minha esposa e filhas estavam lanchando, uma funcionária que limpava o local se aproximou e perguntou o que era aquilo tão bonito que elas estavam comendo.
   Disse que sempre via as pessoas pedindo aquele prato, mas nem sabia o que era.
   Eram batatas recheadas, minha esposa lhe deu um pouco e ela comeu com gosto, achou maravilhoso.
   Ao perguntar o preço se assustou, com seu salário não poderia se dar ao luxo de comer um prato daqueles.
   Minha esposa em um misto de ingenuidade e boa intenção tentou deixar pago discretamente uma batata recheada para aquela pessoa, mas ao chegar no caixa a gerente da lanchonete tinha observado a cena e disse para minha esposa ficar tranquila que a lanchonete daria de graça aquele presente para a faxineira.

  "Espero" que a gerente seja uma pessoa legal, pois sabemos que esse tipo de ocorrência pode acabar em demissão, a política de qualquer Shopping proíbe que os funcionários incomodem de qualquer forma o cliente, imagine com os que “nem são dali”.

 “Espero” que a “mulher da limpeza” tenha degustado um farto prato de batata recheada sem maiores consequências.

  “Espero” que a Gerente seja uma pessoa tolerante e no máximo tenha feito uma recomendação para que aquilo não mais aconteça.

   Se você acha que a instrução é cara, trabalhosa, experimente a ignorância, um simples prato de batata recheada pode lhe custar um emprego que nem é lá essas coisas.

  Olha aí!
  Acabei chegando neste lado triste da Filosofia onde um filosofo não pode fazer nada além de ter esperança, torcer para que o melhor ou menos pior aconteça.

  Vou parar por aqui, a “Filosofia” já me fez perder a Fé, não quero perder a Esperança.
   O dia que eu não puder escrever uma Filosofia que consiga melhorar a vida das pessoas prefiro parar de escrever.

   No Abismo temos que ficar longe dos “buracos negros”, estruturas magnificas do pensamento, mas que sugam tudo, até a luz, nos levando para uma espécie de “lado escuro da Força”.

  Porque tantas pessoas não valorizam devidamente a Educação e o Conhecimento?

  NÃO SEI!

  Não tenho solução para tudo, não vou me sentir culpado por minhas filhas se alimentarem fartamente no Shopping, fico alegre que possam ter esse prazer.

  Só sei que nada sei.

  Tento manter a ESPERANÇA e buscar CONHECIMENTO.





.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Pedra no Sapato

  “O Fascismo é uma religião.
   O século XX será conhecido como o século do Fascismo.”
[Benito Mussolini]

 Saiba o que é Fascismo.

Vamos falar um pouco de...


Fanatismo:

1) Zelo religioso obsessivo que pode levar a extremos de intolerância.

2) Faccionismo partidário; adesão cega a um sistema ou doutrina; dedicação excessiva a alguém ou algo; paixão.

  O fanatismo é caracterizado pela criação de dogmas.
  Dogma é qualquer ponto de uma doutrina/ideologia de caráter inquestionável.

  “A religião é o ópio do povo.”
  “Jesus é filho unigênito de Deus.”

  Mussolini dizia que em determinados momentos, as palavras podem ser fatos.

“O homem nasceu em pecado”.

 Não há nada observável que justifique tal afirmação, mas está escrito em um livro sagrado e a palavra virou fato.

  Da mesma forma pessoas iguais a Mussolini se atribuem super poderes, só elas sabem o que é bom/certo para o povo.
  Os opositores, os que discordam e não podem ser convencidos pela palavra devem ser presos ou mortos.
  A “sabedoria” do grande líder em nenhum momento pode ser questionada, não pense, simplesmente aceite. 😩

  Minha atração pela Democracia e Capitalismo vem do incentivo a PENSAR.

  Você pode nascer, pobre miserável, mas se tiver uma boa ideia ou sorte, ou algum talento bem aproveitado poderá ocupar os mais altos postos e obter fabulosas riquezas ou pelo menos ter uma vida bem confortável e digna.
  A Democracia é o debate e quando é boa, a melhor ideia, a mais coerente, sai vencedora e a grande maioria sai ganhando.
  (Não dá para agradar a todos em tudo)

  No Capitalismo você pode nascer rico e terminar seus dias na sarjeta.
  É preciso usar muito o intelecto, ter uma “inteligência emocional” bem calibrada.

  Na Democracia se um filho de Presidente bater no meu carro vai ser acionado judicialmente.
  Se estiver errado terá que assumir suas responsabilidades como qualquer outro cidadão porque na Democracia não tem “sangue azul” acima da lei.
  De certo terá a seu serviço bons advogados, mas também por ser “celebridade” o caso será acompanhado com destaque, desperta o interesse popular.
   Haverá enorme pressão para que ocorra o que a maioria ache “justo”.

  Quando medito sobre Capitalismo e Democracia fico pensando como ainda pode existir tantos simpatizantes da Teocracia e do Comunismo!
  Para quem não gosta muito de pensar, a Democracia não é ruim, é eleger uma “aristocracia” pensante e ver a nação seguir tranquila, bem governada.

  Você pensa bastante durante as eleições, depois segue sua vida sem esquentar muito a cabeça com política e economia.
  Foca mais no seu micro universo.

  Se nem durante as eleições quer pensar em política e economia é só não ir votar.
  Em democracias de boa qualidade o voto é facultativo.
  Eu defendo que o Brasil tem uma Democracia de boa qualidade, a pedra no sapato a ser tirada é o “voto obrigatório”.

  

  Voto obrigatório em uma Democracia é tão sem sentido que mais parece um “dogma”.
  Alguém decidiu isso, não questione, não pense. 😡

  



.











segunda-feira, 29 de julho de 2013

Aristocracia

    “Somente um país inferior, ordinário, insignificante, pode ser democrático.
  Um povo forte e heroico tende para a aristocracia.”
  [Benito Mussolini]
  
  

  Aristocracia é uma forma de governo na qual o poder político é exercido por nobres, pessoas de confiança do Monarca ou do Regente.
  Teve origem na necessidade de um “novo governo” que combatesse a Tirania, forma de governo em que o poder se concentrava em uma pessoa “perversa” e Oligarquia quando os governantes atendem a interesses privados.
 
  Um exemplo de estado governado pela aristocracia é a antiga cidade-estado de Esparta que, durante toda a sua história, foi governada pela aristocracia latifundiária guerreira.

  Atualmente Aristocracia é uma organização sociopolítica baseada em privilégios de uma classe social formada por “nobres” que detém, geralmente por herança familiar o monopólio do poder.
  As pessoas próximas desse círculo comandam a nação.

  É difícil diferenciar esses conceitos.
  Vejam o caso da Coréia do Norte e Arábia Saudita.
  Onde começa a Aristocracia e termina a Oligarquia/Tirania?

  A Aristocracia de que fala Mussolini é a “elite” que chega ao poder e se mantém lá pela força, pela opressão, passando o poder não raro de pai para filho.
  São aqueles ditadores que permanecem no poder por décadas tomando posse da nação.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Sou contra a Tirania e Oligarquia, entretanto a Aristocracia tem uma outra conotação.

 O amigo Aristóteles dizia:

  Aristocracia é o poder confiado aos melhores cidadãos, sem distinções de nascimento ou riqueza.

  Aristóteles foi um gênio, Mussolini foi um grande idiota.

  Eu também penso que para uma nação funcionar com eficiência deve tender para uma Aristocracia, as pessoas não são iguais quanto a qualidade do pensamento, existe sim intelectos superiores, a massa é MEDÍOCRE.
  Só que eu me alinho com meu amigo Aristóteles, um poder ROTATIVO controlado por nossos melhores intelectos.

  Nosso presidente seria escolhido entre os melhores dos melhores, com um ótimo histórico administrativo e moral ilibada.

  Nosso Senado e Câmara igualmente seriam ocupados por nossos melhores cidadãos.

  Ao imaginar tal situação, um sorriso surge em meu rosto. 😆

  Só no escuro do meu quarto posso ter visões tão magnificas do quão boa poderia ser a realidade.

  No entanto dentro ou fora do poder há muitos “Mussolinis” enquanto “Aristóteles” são bem poucos.

  Se convencermos a “massa” da importância dos Aristóteles PARA O BEM DE TODOS ... 
  Mussolinis continuarão a existir, porem ficarão longe do monopólio do poder…

  Que mundo MARAVILHOSO!

  






anterior                       <>                                próximo



-------------------------------------------------------------------------

domingo, 28 de julho de 2013

Solução para Viciados

👩 “A curto prazo, William, o que acha seria possível para salvar drogados irrecuperáveis."
[Nihil no G+]

  Não sei de nenhuma terapia ou medicação que pode acabar com qualquer vicio a “curto prazo”
  O componente principal para recuperação continua sendo a força de vontade do indivíduo.

  Tem um componente genético que está fora de controle (teoria que tenho) alguns organismos sentem prazer muito maior com determinado tipo de droga que outros.

  Observamos isso em outras circunstâncias da vida.
  O remédio que surte bom efeito em um organismo é ineficiente em outro.

  Mais um exemplo.
  Eu preciso e gosto de comer, mas noto que o prazer que sinto com comida é bem inferior ao de outras pessoas.
  Não preciso de muita força de vontade para rejeitar um pedaço de pizza.
  Então é complicado afirmar que quem não consegue largas as drogas não tem força de vontade.

  Para determinados organismos a droga provoca um prazer tão intenso tornando bem mais difícil largar.

  Outra situação muito ilustrativa, para sair um pouco do universo das drogas.
  Você está apaixonada por um garoto, tudo que ele faz ou deixa de fazer a afeta bastante.
  Só dele estar perto você já sente muito prazer.
  Para outra mulher que gosta de outro homem ou não está apaixonada por ninguém o seu "príncipe" é apenas outro “plebeu” qualquer.
  Se for bonito e simpático é bom que esteja perto, mas não é algo que provoque sentimento de euforia.

  No caso de viciados não tem “solução social” fácil e muito menos de curto prazo.
  Individualmente, para alguém se livrar do vício a curto prazo só se for milagre ... e aqui chegamos a parte importante dessa meditação.
 

  Nem o Cristianismo (ou qualquer outra doutrina/ideologia) se propõe a “salvar” todo mundo, sabe porquê?

SEMPRE HAVERÁ PERDAS.

  Qualquer “filosofo” que pretenda “salvar” a todos ou ter solução para tudo é um pobre coitado alvo fácil da depressão, sempre caminhará para aquele lado escuro da Filosofia onde a tristeza é companhia certa e constante.

  Quantas pessoas morreram ou sofreram graves acidentes indo para a igreja ou vindo dela?

  Quantos trabalhadores perderam a vida no trabalho ou ficaram seriamente incapacitados?

Na vida não há lugar 100% seguro.

  Recentemente ocorreu forte terremoto na Nova Zelândia, um país muito bom para viver.

  “Terremoto na Nova Zelândia mata ao menos 65, número não é definitivo e pode aumentar.
   De magnitude 6,3 atingiu Christchurch, ao sul do país.” 

  Com aquela sociedade tão civilizada e bem estruturada as perdas até que foram poucas diante da catástrofe, mas houve perdas e para mãe que perdeu um filho foi a pior catástrofe do Universo.

  É possível ajudar muitas pessoas, mas é impossível ajudar a todas, alguns serão tragados pelo vício e não só pelo vicio, mas por inúmeras complexidades que cercam a vida.

  Um prédio bem construído pode cair, em geral é bom abrigo e moradia.
  O amor pode matar ou levar ao suicídio, em geral faz surgir novas famílias.
  As drogas são ignoradas pela maioria (todos temos acesso), dá prazer sob controle para muitos e ... são a ruína de outros tantos.
    
  

   Para quem tem viciado na família, drogas são a pior catástrofe do Universo, mas nós enquanto Sociedade, devemos ter uma visão mais abrangente.






.


sábado, 27 de julho de 2013

Peso Extra

  Na minha vida já encontrei diversas pessoas que só dão trabalho para outras.

  “Para comprar drogas, Patrícia Teixeira Ferreira já usou até o benefício da aposentadoria que a mãe recebe mensalmente.

   -Ela pegava meu cartão e sacava cerca de R$ 70,00.
   Hoje, tenho que esconder o cartão.

   Contou a mãe, Osmarina Teixeira Ferreira.

  - Minha filha chegou a fumar 70 pedras de crack numa única noite. Já foi baleada e esfaqueada e só tem 29 anos.
   Não quero perdê-la, e ela quer ajuda.

   A relação de Patrícia com as drogas começou aos 9 anos, quando começou a usar maconha e cocaína, só não usou drogas injetáveis (Segundo a mãe).
   Há três meses, o consumo de crack intensificou, a jovem não se alimenta, está tão fraca que não conversa mais.
   A comunicação é toda feita por meio de cartas.
   Em outubro passado (2010), a jovem teve overdose em casa, no bairro Vale Encantado, em Vila Velha.
   Desesperada, a mãe ligou para o Serviço Móvel de Urgência (Samu), mas não teve o pedido de socorro atendido.
   Na ocasião, a ajuda veio de um vizinho.
   Atualmente, também é uma vizinha quem tenta ajudar Patrícia.
   Uma das soluções apontadas por ela foi uma vaga no Hospital da Polícia Militar (HPM), referência em tratamento de dependentes químicos.
   Mas, segundo a família, a resposta foi negativa.

  Entendo o desespero e a luta da mãe, não quero de jeito nenhum estar no lugar dela, mas tenho que analisar o caso da cidadã Patrícia com lógica e o máximo de isenção possível.
  Por isso um juiz não pode julgar uma pessoa que lhe é querida ou com a qual tenha alguma relação, juridicamente chamamos de “conflito de interesses”.
  Não sei o que levou Patrícia a ter acesso a drogas com apenas 9 anos, a princípio podemos supor que foi uma grande falha de seus “pais”.
  Se tiver pai como uma pessoa presente em sua vida, a matéria não fala nada sobre isso, só fala da ajuda de vizinhos.
  Nesse tipo de matéria há sempre um grande apelo emocional a favor da “vitima” e cobrando ações do estado/sociedade.

  De qualquer forma vamos dizer que com 15 anos Patrícia já sabia para qual caminho sua vida estava seguindo, porque só agora com um mês de vida se propõe a mudar?
  Se ela escapar dessa alguém acredita que não voltará a se drogar, alguém acredita nessa milagrosa mudança de caráter?

  Já que dispomos de poucos recursos seria melhor utiliza-los com quem tem chances mais claras de sobrevivência.

  Quero dizer que por mim Patrícia pode morrer e já vai tarde ... se não poupa nem a própria mãe imagine o número de pessoas que já prejudicou friamente.

  Na minha vida já encontrei diversas pessoas que só dão trabalho para outras.

  Muitos acreditam que é coisa só de “pobre”, mas não é.

  “De princesinha à exilada política, drogada desde os 13 anos, mãe aos 21, amiga de Cazuza e Andy Warhol, amante de mafiosos e traficantes, junkie de heroína em Amsterdã, Neusinha viveu uma vida vertiginosa, entre o poder e a marginalidade, prisões e fugas, escândalos e brigas com o pai, e pagou caro, com muito sofrimento e humilhação no inferno das drogas.”

  As drogas prejudicam mais pobres e “excluídos”?

 “10 Famosos que arruinaram suas vidas por causa das drogas.”

  Veja que são pessoas em sua maioria bem nascidas, não são negros, pobres, “excluídos”.
  Como em algum momento viraram celebridades temos mais informações sobre suas vidas, mas não se engane, há muitos “bem nascidos” anônimos que são um enorme transtorno para colegas e familiares.

  Enfim.

  Tem gente que por opções próprias vira um peso para muitos e ainda posa de “vitima”.
  Se nasceu em condições precárias coloca culpa nisso.
  Se teve alguma oportunidade/sucesso ... coloca a culpa nisso!!

  Lembram o que escrevi no texto anterior:

  A princípio não tenho "ódio" do marginal, até lamento sua situação.
  Nascemos com certas predisposições genéticas não escolhemos o que sentir.


  Não escolhemos nossa “genética/sentimentos”, mas decidimos como agir diante do que sentimos.
  Fraternalmente gosto de ajudar quem está em dificuldades, porem minha vida já me é bastante pesada (hoje nem tanto), não gosto de carregar muito peso extra, ainda mais quando considero “causa perdida”.
 
  Tem pessoas que só dão trabalho, prefiro me manter afastado.
  Escolhi agir assim.

  
  Para muitos é uma “vítima do sucesso” para eu é só mais uma idiota “talentosa”.
  (Se bem que não aprecio seu repertorio, respeito o gosto dos outros.)



.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Ainda sobre Caráter


  “Se não chegarmos a triunfar não nos resta mais nada a não ser arrastar conosco metade do mundo nesse desastre.”
[Hitler]


  Gostei de ler Hitler, ele é mais um caso que coloca em xeque a teoria que o acumulo de conhecimento pode por si só transformar um homem em uma “pessoa melhor”.

  “Eduquem as crianças e não precisarão punir os homens.”

  Pessoa com “mau caráter", ao adquirir conhecimento se torna mais destrutiva sendo necessário leis ainda mais severas, uma polícia mais preparada e punições duras.

  Educação vem da família, pais honestos deveriam ter filhos honestos.

  O marginal com pouco estudo/conhecimento ao se ver sem saída não terá pudores em pega-lo como refém, se não tiver sucesso vai arrastar você com ele para o desastre.
  Tal qual Hitler com todo seu conhecimento faria.

  Podemos observar essa ocorrência em inúmeros acontecimentos da vida.
  Lembram o caso Pimenta Neves?
  Claro que ele gostava demais da Sandra Gomide, não suportava ficar longe da sua companhia, mas ao perceber que não teria jeito de ficar com a moça não se importou nem com seu próprio desastre.
  Pimenta Neves era um erudito, há inúmeros semianalfabetos que jamais reagiriam assassinando a mulher por que isso não é da personalidade/caráter deles.

  Pimenta Neves sem educação/conhecimento seria um sujeito pior?
  O que é pior que cometer assassinato?
  Torturar a vítima antes?

  As coisas não são tão simples.
  Um ladrão não é necessariamente assassino (gosta de matar ou mata com facilidade), pode até matar no "exercício da atividade".

  Um assassino não é necessariamente ladrão ou torturador, não dá para afirmar que Pimenta se tornaria um criminoso de maior periculosidade devido à falta de estudo.
  Não temos noticia dele ter matado outra pessoa, se não fosse perder a cabeça por uma paixão continuaria um "cidadão de bem" proeminente em nossa sociedade.

   Sabemos que nascer em condições precárias pode "incentivar" o indivíduo a cometer delitos, mas mesmo dificuldades financeiras e até alimentares não determinam que alguém vire ladrão.
  Mais uma vez estamos falando de caráter, personalidade, natureza.

  O que vou escrever agora é um tanto complexo.
  A princípio não tenho "ódio" do marginal, até lamento sua situação.
  Nascemos com certas predisposições genéticas não escolhemos o que sentir.
  Exemplo:
  A maioria de nós valoriza bastante outra vida humana é o natural, é
o que mais acontece, por isso a dificuldade em matar.
  Temos até "empatia" com outro corpo humano, se vemos alguém ser cortado imaginamos isso em nós ... pelo menos é assim comigo
  E se o indivíduo nasce sem esse tipo de sentimento?
  Dependendo da situação/ambiente que estiver pode matar por qualquer coisa.
  Evidente que ele não tem culpa de ter nascido com essa natureza.
  No entanto terá que aprender a se controlar ou arcar com as consequenciais.

  Não escolhemos o que sentir, mas escolhemos como agir.

  


   Sentir vontade de roubar não impede ninguém de entender que roubar é errado.

  “Ávido LEITOR, Marcola do PCC gosta de indicar aos amigos de cárcere a leitura de "A Arte da Guerra", livro escrito há mais de 2.500 anos pelo filósofo chinês Sun Tzu.”



.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Sobre Caráter

  “As causas não determinam o caráter da pessoa, mas suas ações são a manifestação do seu caráter”.
  [Schopenhauer]

  Acredito que se eu morasse em uma região de guerra onde convivesse com muitas mortes, mataria também por uma questão de “justiça” ou sobrevivência.
  No entanto faria tudo para me livrar dessa situação, transformar aquele lugar ou ir para outro onde não houvesse guerra.

  Não sinto prazer em matar, isso não faz parte do meu caráter.

  “Caráter é um conjunto de características e traços relativos à maneira de agir e de reagir de um indivíduo ou de um grupo.
  É um feitio moral. É a firmeza e coerência de atitudes.
  O conjunto das qualidades e defeitos de uma pessoa é que vão determinar a sua conduta e a sua moralidade, o seu caráter.
  Os seus valores e firmeza moral definem a coerência das suas ações, do seu procedimento e comportamento.”

   


  Como qualquer jovem também tive acesso a drogas, cigarros, bebidas... mas não fiz uso de nada disso por não fazer parte do meu caráter.

  É do meu caráter (personalidade/natureza) gostar da lucidez.
  Não sinto vontade de inebriar meus sentidos ... se bem que por vezes até seria interessante.
  Tanta lucidez incomoda, confesso que para suportar certos dias algum estimulante iria muito bem, mas me sentiria culpado, culpado de quê?
  De ir contra meu caráter, minha NATUREZA.

  Posso ir contra minha natureza desde que observe um motivo lógico, uma necessidade, como matar no exemplo dado no início da meditação.

  Porque estou reforçando isso?

Cada indivíduo nasce com uma natureza.

  Como isso é definido?
  Quem sabe ... vamos dizer que é uma combinação genética ao acaso dos genes maternos e paternos. 

  [Sei que muitos apostam que nascemos folha em branco e tudo mais é moldado pelo ambiente, se concorda com isso ... pare de ler o texto.]

  Quando escuto que amigos levaram um jovem para o “mau caminho”, não consigo ver esse jovem como vítima inocente justamente porque acredito que cada pessoa tem sua natureza.

  Nossas amizades são "compatíveis" com nossos gostos e interesses.

  Se o jovem tem amigos usuários de drogas é porque buscou esse tipo de amigos.
  Mas isso não é suficiente, eu tive colegas usuários de drogas e nem por isso uso drogas.
  Tive amigos gays nem por isso liberei o fiofó.

  Quero dizer que não importa se ofereceram drogas para o jovem ou se ele pediu.
  O fato é que é que por livre e espontânea vontade experimentou, sua natureza pedia isso.

   Para cada “amigo” que o convida para droga tem outros dez dizendo para não usar, alertando sobre o perigo do vício, tem o pai, a mãe, o professor, a mídia, a igreja…
  Porque culpamos as drogas e as companhias pelo “mau caráter” da pessoa?

  “Decifra-me ou te Devoro!”

  Um grande mal do nosso tempo é o vitimismo😩



.


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Adivinhação


 👩 “O grande problema dos amores- especialmente se são mais calmos- é que um não sabe o que o outro realmente está pensando.
   Uma das pessoas pode ser feliz em sua rotina- cuidando dos seus afazeres- ao passo que a outra pode disfarçar e ocultar uma grande insatisfação- desejando mais ação, aventura e romance em sua vida.”
 [Nihil no G+]

  


  Para eu o grande problema é ficar tentando adivinhar o que o outro "realmente está sentindo".

  A partir do momento que minha parceira externa um sentimento posso fazer alguma coisa, enquanto ela não faz isso ... não vou agir como um “adivinhador” que espera sempre o pior. (Ou melhor)

   Sei que nem tudo que pensamos/sentimos deve ser dito, mas as pessoas deveriam se esforçar para serem menos enigmáticas.
  Se gosta de uma coisa diga que gosta, se não gosta diga que não gosta, principalmente para quem você vê possibilidade de algo mais sério.

  Outra coisa irritante (para maioria) é aquela pessoa que quer saber sempre o que você está pensando.
  Não suporta seu silêncio.

  "O vocabulário do amor é restrito e repetitivo, porque a sua melhor expressão é o silêncio.
   Mas é deste silêncio que nasce todo o vocabulário do mundo."



   “A outra pode disfarçar e ocultar uma grande insatisfação- desejando mais ação, aventura e romance em sua vida.”

    Escrevi recentemente um texto sobre isso, não tem porque repeti-lo.



  Principalmente depois que nascem os filhos que tipo de aventura a pessoa está querendo?
  Vai levar um recém-nascido na balada!?
  Mesmo tendo agora casa (e prestações para pagar) o casal vai ficar frequentando motéis?

  E quanto aos pensamentos.
  Você mulher tem um colega legal no trabalho e pensa:
  “Com esse eu iria pra cama fácil.”
  Acha que vai ser proveitoso expor esse sentimento para seu esposo?

  E você homem.
  Evidente que depois de alguns anos sua esposa não é mais fisicamente aquela gatinha que você conheceu.
  Vai ficar expondo seus sentimentos como se ela pudesse permanecer jovem para sempre!?

  Eu considero o casamento “romântico” em si mesmo.
  Se permanecer solteiro fosse tão maravilhoso não haveria tantos casamentos.

  Sei que muitas pessoas permanecem solteiras, mas sinceramente não as invejo.
  Foi bom ser solteiro, foi bom encontrar minha esposa, é bom ter tudo que construímos, é bom ter nossas filhas.

  Tem uma frase que gosto muito:

“O ótimo é inimigo do bom.”

  Sim, devemos buscar a “excelência” quando se trata de produtos e serviços.
 (Sem a ilusão que a perfeição possa ser alcançada).

  No caso de relacionamentos humanos ... cada cabeça é um mundo, com interesses e sentimentos dos mais variados.
  Se o relacionamento está bom, tentar torna-lo ótimo pode ser catastrófico.
  Teríamos que expor todos nossos sentimentos na esperança que o outro entende-se e realizasse nossos desejos.
  O problema é que o outro iria querer o mesmo da nossa parte.
  Quais as chances disso dar certo?
  O relacionamento estava bom, você quis que ficasse ótimo e acabou o relacionamento...









.