sexta-feira, 28 de junho de 2019

Abuso de Autoridade

   A princípio sou a favor do projeto enviado a câmara que fiscaliza e pune promotores e juízes.

 Nenhuma classe profissional ou pessoa deve estar acima de qualquer suspeita.
  Militares, padres, pastores, jornalistas, médicos, professores ... juízes e promotores não são “santos perfeitos”.
  Também não são demônios.

  Não santifico nada nem ninguém.
  Não acredito em perfeição.

  Quem teve ou tem contato com o “pessoal do Judiciário” sabe que eles se acham.
  Sem generalizações, mas quem não conheceu aqueles advogados que usam a profissão em tom de ameaça?
  Você faz o que o cidadão está pedindo ou vai sofrer as consequências.
  Com juízes e promotores isso atinge níveis estratosféricos.
  Ninguém em sã consciência quer problema com esse pessoal porque eles se protegem e “interpretam as leis”.

  Tem problema com um morador do seu prédio?
  Se for juiz ou promotor ... é melhor que você esteja muito certo ou que o “cidadão da lei” seja uma pessoa muito sensata.
  Senão vai entrar em uma briga dura com poucas chances de ganhar.

  Esse caso é emblemático:

  “O juiz João Carlos Correa foi abordado por Luciana Tamburini em uma blitz da operação Lei Seca conduzindo sem carteira de habilitação um automóvel Land Rover sem placa nem documentos.
  Correa dirigiu-se ao tenente responsável pela operação explicando que era Juiz e, segundo Tamburini, pedindo para ser liberado.
  Tamburini decidiu que o veículo deveria ser aprendido e explicou os motivos da autuação.
  O juiz Correa lhe deu voz de prisão.
  Luciana então afirmou: "- É Juiz mas não é Deus."
  Assim, todos se dirigiram à delegacia de polícia.
  O caso foi julgado em primeira instância na 36ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que entendeu que a vítima fora o Juiz e não a agente.
   Luciana foi condenada a indenizar o juiz em 5 mil reais.

  Navegando pela Internet noto que as pessoas (como quase sempre) não leram o projeto.
  Simplesmente opinam “passionalmente”.

  Os “mais à esquerda” tem sangue no zóio 😄 contra Sérgio Moro e Deltan Dallagnol.
  Sei lá, mesmo que o projeto passe não terá efeito retroativo.
  É preciso ver o projeto no todo, não como apenas mais uma oportunidade para o “Lula Livre”.
  Mas falar com esse pessoal é perda de tempo.

   Esse texto é pra você “mais à direita”.

  Casos como o Petrolão acontecem (entre outras coisas) porque muitos membros do judiciário abusam da sua autoridade ... liberando quem não deveria ser liberado.
  Assim vai gerando impunidade.
  Evidente que essa justiça mais frouxa é direcionada a endinheirados e a quem tem poder político.

  Joaquim Barbosa e Sergio Moro foram pontos fora da curva.

  Tivemos muita sorte.

  Não dá para ficarmos contando com a sorte.
  Nosso sistema judiciário precisa passar por uma grande reforma e punir quem prende ou solta pessoas sem um bom embasamento jurídico.

  Raquel Dodge e Deltan Dallagnol são pessoas que “eu” confio ... pelo menos em suas boas intenções.
  Mas todos sabemos que nem sempre os mais “honrados” ocupam o poder.

  O projeto em discussão na câmara, não vai ser problema para os membros do judiciário honrados (a maioria).
  Apenas terão que ser mais cuidadosos em suas denúncias e embasamento jurídico, o que é bom.

  O projeto vai nos proteger enquanto sociedade daquele membro do judiciário não tão honrado ou muito “ousado”
  (Entenda porra louca 😄)
  O cara pode até ter boa intenção, mas seu jeito de agir extrapola muito as regras.

  Enfim.
  No presente precisamos preparar um bom futuro.
  Não se trata de esquecer o passado.
  Se trata de deixar as feridas cicatrizarem, não mante-las abertas indefinidamente.

  Essa lógica entra em sua mente?






    


Projeto em votação:

  “Para se caracterizar um crime de abuso de autoridade, é preciso que seja comprovado o dolo específico.
  O fim especial de agir para se beneficiar, para prejudicar outrem ou por capricho especial ou satisfação pessoal.

  O Senado eliminou entre as caracterizações abuso de autoridade o chamado crime de hermenêutica, ou seja, a divergência na interpretação da lei.
   A interpretação da lei, do fato e da prova não constituem por si só os crimes de abuso de autoridade.

  O Senado também abrandou a pena para quem cometer abuso de autoridade.
  Antes, havia previsão de reclusão - ou seja, quando a pena começa no regime fechado.
  Agora, a pena passou a ser de detenção - que pode começar em regime semiaberto ou aberto.”

  Como podem ver foi aprovado o mínimo do mínimo para nos dar socialmente um pouco mais de transparência e responsabilidade no poder judiciário.


.

domingo, 23 de junho de 2019

Teia

 “A teia de nossa vida é composta de fios misturados, de bens e de males.
  Nossas virtudes se tornariam orgulhosas sem os açoites de nossos defeitos, como os nossos vícios desesperariam, se não fossem alentados pela virtude.”
[William Shakespeare]

  


  “O policial militar no Rio de Janeiro, Miguel era agressivo em casa e brincava de roleta russa diante da mulher e dos filhos.
  Com colegas de trabalho, comentava que tinha vontade de dar um tiro na cabeça.
  Um dia deu, matou-se no banheiro de casa, com a própria arma.


  Conheci muitas pessoas que queriam ser policiais e não passaram no teste psicológico.
  Deduzo que quem entra na corporação esta pelo menos dentro dos padrões normais de sociabilidade.

  O que leva uma pessoa normal a ficar muito desgostosa da vida?
 
  Isso varia de pessoa para pessoa, já elenquei vários fatores.
  Não somos o centro do mundo, as pessoas a nossa volta não vão realizar todas nossas vontades, por vezes os interesses são conflitantes.

  Notei algo interessante que a princípio acreditava que afetava só “tipos como eu” ... entendam como quiserem.
  Espero que me vejam como alguém lógico, mas quem me acha “perturbado” ... é melhor parar a leitura aqui.

 Lembrei desse filme: Watchman

  A coisa mais poderosa no universo... ainda apenas um fantoche.
(Laurie Juspeczyk / Espectral II)

  Todos nós somos fantoches, Laurie.
  Eu apenas sou um fantoche que consegue ver os fios.
 (Doutor Manhattan)

 Minha aposta é que:

 A falta de lógica afeta a maioria, podemos amenizar os conflitos se mais pessoas conseguirem ver os “fios”, a enorme teia que nos prende e/ou nos une.

  Vamos seguir com o caso dos policiais ... agentes de segurança em geral.

  O que mais desestabiliza os policiais é a falta de lógica.
 
  A falta de coerência/bom senso estressa a todos, infelizmente poucos percebem, “veem os fios”.

  A dificuldade de encontrar algum sentido na vida pode levar em seu ponto máximo ao suicídio.

  O cidadão quer ser policial para prender bandidos, tornar a sociedade melhor, menos violenta ... isso dá um bom sentido à vida.
  Pela lógica policiais eram para serem admirados respeitados.
  No entanto parte significativa dos brasileiros tratam esse profissional com um sentimento gratuito de medo ou desprezo que desafia qualquer lógica.
  Não idolatro nada nem ninguém, mas até que eu observe algo suspeito tenho grande nível de confiança em qualquer policial.
  Me surpreende o número de pessoas que colocam bandidos e policiais no mesmo nível.
  É algo para meditarmos, um dos muitos pontos que temos que melhorar em nossa cultura.

  De onde vem essa antipatia por policiais!?

  Há relatos de soldados violentos que abusam da autoridade?
  Sim.
  Há policiais corruptos?
  Sim.
  Que os maus profissionais sejam demitidos, se fizeram algo criminoso que sejam punidos.
  Isso serve para qualquer profissional.
  Não faz sentido demonizar toda a polícia pela atitude de alguns.

  Estudantes das nossas universidades não querem policiais no campus devido o regime militar!
  Caraca, isso já faz tanto tempo.
  Pensem comigo.
  A ditadura militar acabou em 1984.
  O soldado que tem 34 anos nem havia nascido ainda.
  Quero dizer que no geral são jovens que estão buscando seu lugar profissional na sociedade.
  Muitos policiais fazem faculdade também.
  Querer ser policial, defender a lei, ter vocação para isso é algo muito bonito.
  Desprezar um policial só por ser policial não faz sentido e isso estressa.

  Regras existem para termos uma convivência social mais harmoniosa menos estressante.
  Sempre que você sem um bom motivo quebra regras provoca tensão estresse.
  Uma das funções da polícia, talvez a principal, é garantir que cumpramos as regras acordadas por todos.

Porque nosso povo desrespeita tanto às regras!?

  Já trabalhei de segurança, de uma certa forma ainda trabalho, embora não ganhe pra isso.
(O que já provoca estresse.)
  As pessoas querem fazer coisas que vão contra as regras do hospital.
  Exemplo:
  A visita a pacientes encerra as 18 horas, mas sempre tem os que acham que isso é só uma sugestão.
  Daí surge tensões.
  A pessoa acredita no poder de frases magicas:

 "Eu não sabia."
 "Moro longe."
 "Estava trabalhando."
 "O trânsito está horrível."

  O cidadão se acha o centro do Universo, acima de todas as regras.
  Praticamente tudo que envolve algum atendimento tem horário de funcionamento.
  Quando tenho que ir há algum estabelecimento uma das primeiras coisas que faço é me informar sobre horários.
  O cidadão vem na cara e coragem e acha que o hospital tem obrigação de atende-lo.

  Na minha visão lógica...

  Se mora longe é um bom motivo para sair mais cedo.

  O cidadão estava trabalhando ... eu estou trabalhando, ganho para fazer valer às regras do meu contrato de trabalho.

  Trânsito em cidade grande não pode ser usado como desculpa a não ser que tenha acontecido um acidente de graves proporções.

  Enfim, mesmo nesse exemplo simples:
  Fica claro que quando respeitamos as regras os atritos diminuem bastante.
  As regras tem um sentido, uma razão de ser.
  As exceções tem que ser muito bem justificadas, as mudanças devem ser debatidas no local adequado.
  Nós brasileiros não podemos mais sair de casa sem planejamento algum acreditando no “jeitinho”.

  Não quer ter problema com a polícia ou agentes de segurança?
  Não cometa atos ilícitos, se informe e respeite as regras de cada local.

  Mas acredito que o que mais deprime policiais é a impunidade.
  Leis que favorecem demais a bandidagem e tem o apoio da população.

  Veja esse post recente:

👨 “Polícia é sinônimo de abuso de autoridade e ponto, todo policial tem em si o dom de partir pra agressão desmedida e covarde ao mínimo sinal de questionamento.”

  Tenho certeza que você que navega pela Internet vê direto esse tipo de postagem.
  Imagens de policiais que se excedem são compartilhadas prontamente, muitas vezes tiradas do contexto.
  O cidadão estava lá sem causar problema algum, policiais o abordaram por pura diversão...

  Como diminuir a depressão em policiais e possíveis suicídios?

  Nós enquanto povo respeitarmos mais esse profissional.
  Todo policial é um cidadão digno honrado até prova ao contrário.
  A falha de um não é a falha de todos.
  (Isso serve genericamente para todos os trabalhadores)
  Lutarmos por leis mais duras.
  Prisão em segunda instância redução da maioridade, construção de mais presídios, se o cara foi condenado que seja efetivamente preso.
  Essa coisa da polícia prender e o judiciário soltar devido muitas brechas nas leis tem que acabar.
  Sim, temos que ter todo cuidado para não prender um inocente, mas o mesmo nível de cuidado para não deixar nas ruas um delinquente.

  E salários?

  Sou Centro Direita, defendo que saúde, educação segurança devem ser prioridade do Estado.
  Nesses setores teremos muitos funcionários públicos.
  O dinheiro para pagar o servidor público vem dos impostos.
  O funcionalismo deve ganhar tão bem “quanto pudermos pagar.”
  
  Por isso a importância do Brasil desenvolver uma economia mais dinâmica eficiente.
  Estados endividados como os nossos não tem como pagar bons salários sem se endividar cada vez mais, uma hora não tem mais nem crédito na praça o servidor acaba ficando sem salário.

  O policial inglês, americano, alemão, ganham mais por viverem em países economicamente mais viáveis.

  Nossa qualidade de vida, poder de compra, salários, podem melhorar, mas precisamos melhorar enquanto povo.
  Respeitar as regras, promover a justiça torna tudo menos estressante, mais produtivo.

  É uma enorme teia, comece a ver os fios.

  Se cada um usar sua inteligência para o bem a teia nos une, aumenta nossa força.
 Se ignoramos a lógica/bom senso, a teia nos prende, nos torna vítimas.

  Essa lógica entra em sua mente?

   




.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Criminal Minds

"As artes corrompem a Sociedade."

  A frase é de Jean-Jacques Rousseau um pensador o qual não tenho afinidade.

  Mas para essa meditação ela cai como uma luva.
  Corromper é uma palavra forte, desperta sentimento negativo.
  Porem se substituirmos por "influenciar" a frase fica óbvia, não é isso que quero para o texto.

  As artes tem enorme poder de corromper a sociedade, por isso Rousseau sugeria controle rígido das artes.

  Eu passo longe disso.
  Seria hipocrisia alguém que fala tanto em liberdade sugerir rígida censura as artes.
  Me contento em debate-las, vamos a um exercício prático.

  Tem uma série que comecei a gravar por me parecer mais adulta em meio tantos filmes de super heróis e comédias.
  Criminal Minds é uma série de sucesso senão não teria tantas temporadas.
  Assisti a primeira temporada, assisti a segunda e já nem queria mais gravar, mas a falta de filmes e séries inteligentes/adultos me deixa sem opções, fui assistindo até a gota d'água ...


  A assassina matava mulheres e as transformava em bonecas.
  Isso mesmo.
  Sequestrada mulheres pequenas com aparência angelical, administrava uma droga que as mantinha conscientes, mas paralisadas.
  As moças tinham que ser 3, uma negra outra morena e outra loira.
  A assassina confeccionava roupas a mão para cada uma delas.
  As maquiava e penteava de forma a ficarem idênticas as bonecas.
  Quando uma moça morria ela sequestrada outra para substituí lá.
  As moças duravam cerca de dois meses, o corpo delas ser mantido em estado de paralisia tanto tempo provocava derrame cerebral.

  É, os roteirista criam crimes inimagináveis.

  Mas os americanos são muito competentes na produção de seus filmes, os atores são fantásticos, os efeitos muito convincentes.
  As cenas são horríveis e deprimentes.
  Percebi que a série me deixava com uma tristeza profunda.
  No final eles salvavam alguém, mas antes disso 3 ou 4 morriam de maneira monstruosa.
  Isso ficava atormentando minha mente.

  Essa arte/filme corrompe quem assiste de várias maneiras, uma delas é colocando na cabeça de psicopatas sugestões de crimes horripilantes e maneiras de não serem descobertos pela polícia.

  Entretanto a maioria de nós não é psicopata ... pelo menos com gravidade.
  Eu não sou, no meu caso o problema é buscar um entretenimento para relaxar e no final sempre terminar triste.

  Porem tem uma coisa que me incomoda ainda mais.

  A meu ver o que mais corrompe nossa sociedade é o "psicologismo" embarcado nesse tipo de filme.

  Nem lembro bem do final desse episódio.
  Me parece que a assassina teve algum problema com bonecas que foram tiradas dela na infância.
  Somou-se a isso o pai ser pedófilo, não fez nada com ela, mas abusava de outras meninas.

  Onde está o psicologismo?

  É sempre isso nessa série e nos mais diversos filmes.
  O assassino é bom porque todos nascemos uma folha em branco.
  A "monstruosidade " sempre vem de algum trauma da infância.
  Os mais comuns são:

 💣 Abuso sexual.
 💣 Espancamento.
 💣 Viu a mãe e/ou pai morrer.

  No caso desse episódio.
  A mulher podia depois de adulta denunciar o pai.
  Podia virar pedófila com garotos.
  Podia se entregar a bebida/drogas.
  Podia se afastar daquilo tudo e nunca mais falar com o pai.
  Mas não o roteirista quer algo “diferente”.
  Então decide que a mulher vai sequestrar mulheres e transforma-las em bonecas!!

  Antes desse episódio já havia assistido a outro bizarro (entre tantos outros).
  Sabe quando você não acredita no que está assistindo, mas vai seguindo só para ver até onde vai a imaginação do roteirista e diretor?
  O assassino matava as mulheres e pegava como troféu a panturrilha, é, a "batata da perna" como minha vó falava.
  O cara tinha fetiche por panturrilhas, era assim que escolhia suas vítimas.
  De certo devia ser mais algum trauma de infância ... desliguei antes do fim.

"As artes edificam a Sociedade."

  Nesse tipo de meditação não podemos deixar de lado a dialética.
  (Em sentido bastante genérico, oposição, conflito originado pela contradição entre princípios teóricos ou fenômenos empíricos.)

  Um filme, novela, conto também podem semear o “bom mocismo”, ética, honestidade, honra.

  Na própria série Criminal Minds os crimes são horríveis, mas os protagonistas são pessoas muito integras, honestas, excelentes profissionais.

  O que eu pretendo passar com essa meditação?

  Sou contra o Estado censurar (interferir em) produções artísticas, prefiro que cada indivíduo repense o tipo de arte que está disposto a consumir.
  Gosto é gosto, se aprecia um tipo de arte (bizarra ou não) deve prestigiar.

  O problema é prestigiar uma arte só porque virou moda ou uma celebridade ou “critico de artes” gostou.

  Vejam meu caso, nunca me interessei por quadrinhos da Marvel ou DC.
  No entanto faz anos que filmes baseados em “super heróis” tomaram conta do cinema.
  Eu no geral não gosto e não prestigio.


  Os Vingadores?
  Quando o filme tem um super herói e bom roteiro consigo assistir.
  Aquele monte de gente super poderosa lutando contra Thanos ... me distraio melhor com episódios do Chapolin Colorado 😄

  Outro grande problema é você se deixar levar por uma “onda” sem identificar se aquilo está de acordo com seus valores, sua natureza.

  Isso é difícil explicar ... vou dar um exemplo.
  Se você assistir filmes (novelas) da década de 50, 60, 70 a “onda” era fumar cigarro.
  Símbolo de charme, sofisticação, “ser adulto”.
  De certo muitas pessoas começaram a fumar apenas para entrar na onda.
  Depois de 80 o cigarro foi se tornando um grande inimigo.
  Nas novelas e filmes foi praticamente banido.

É importante conhecer a si mesmo.

  Se realmente sente vontade de experimentar algo (até cigarro ou homossexualidade) ... tudo bem.
  Gostou, gostou; não gostou não gostou.

  O problema é se obrigar a gostar (ou não gostar) só para fazer parte da “onda”.

  No caso de filmes, novelas, pinturas, esculturas, shows ... você vai sentir um vazio/tédio por estar onde não gostaria de estar, vendo algo que não queria ver.

  No caso de drogas, bebidas, jogatinas, “perversões sexuais” ... podem te levar a dependência.
  Você entra na onda sem querer e acaba querendo muito.

  E agora, quem poderá te defender?

  




.

Nem Chapolin na causa...😕

domingo, 9 de junho de 2019

Conservador de Esquerda


   O partido de Hitler quanto a comportamentos era essencialmente CONSERVADOR, defensor da FAMÍLIA TRADICIONAL ... desde que fosse “ariana”
😆



  Quanto a economia no Nazismo o Estado foi altamente intervencionista, característica da esquerda.

 


  Tenho um colega que representa bem essa “confusão de conceitos”.

  Ele é esquerdista roxo, daqueles tipo “Lula Livre”.
  Defende estatização generalizada, é fã de Che Guevara, Fidel, Stalin...

  Por outro lado é evangélico.
  É contra aborto, casamento gay, liberação de drogas...
  Sem dúvida nenhuma quanto a comportamentos meu colega é extremamente conservador.

  Diferente dele sou Centro Direita.
  Não tenho simpatia por nenhum ídolo da esquerda.
  Aceito estatização apenas nas áreas de Educação, Segurança e Saúde, para tudo o mais prefiro privatização.

  Não gosto do aborto, com tantos métodos anticoncepcionais acho um absurdo o casal trazer uma criança ao mundo por deslize.
  Mas em último caso prefiro o aborto do que mais uma criança nascer sem boa estrutura familiar.

  Se gays querem casar ... eu não me importo.

  Defendo a regulamentação das drogas, é uma guerra que não temos como ganhar.
  Vamos oficializar produção e comércio, cobrar impostos, quem for maior de idade, faça o que bem entender.
  Algo como acontece com o cigarro e a bebida.

  Então vejam que sou de “direita” na economia e não sou um conservador extremado.

  Em resumo:

  Direita e Esquerda se referem a posições econômicas.

 Conservadorismo e Progressismo se referem a posições comportamentais.



   


.