segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Reserva de Mercado

 👨 “Como explicar o estrondoso financiamento de campanha feito por parte da iniciativa privada para a eleição de candidatos esquerdistas como Lula e FHC?”
[Comentarista no Face]    


  A maioria das pessoas veem empresários como sinônimo de “capitalistas”
(No sentido de defender o Liberalismo Econômico), mas não é bem assim.
  Empresários em geral (no mundo todo) gostam mesmo de uma boa RESERVA DE MERCADO.

  Vamos pensar pequeno.
  Você faz trufas na sua casa, trabalha em uma empresa com 500 funcionários, aproveita para ganhar algum dinheiro comercializando o produto.
  Não conheço nenhuma empresa que em seu estatuto permita esse tipo de ocorrência, mas sabemos que acontece.
  Você produz trufas e comercializa no local de trabalho.
  Isso é uma atividade "empresarial", totalmente as margens da lei, mas é.
  É uma situação maravilhosa.
  Você não da satisfação a ninguém, faz as trufas onde quiser sem nenhum órgão fiscalizando condições sanitárias. 
  Só você vende trufa na empresa, quem quiser tem que comprar de você.
  Não precisa ser um gênio para perceber que é uma situação muito favorável.
  
  Você quer um concorrente, outra pessoa vendendo trufas na empresa?
  NÃO.

  Você quer alguma fiscalização sobre como produz o alimento?
  NÃO.

  Quer pagar impostos sobre o lucro obtido?
  NÃO.

  Gostaria que no estatuto da empresa tivesse alguma clausula garantindo que só você pudesse comercializar trufas no local?
  SIM.

  Se para conseguir a tal clausula você precisasse dar algumas trufas de "brinde" para membros importantes do conselho faria isso?
  SIM.

  Se outro funcionário tentasse vender trufa desrespeitando a nova clausula você o denunciaria e exigiria punição?
  SIM.

  Esse é um exemplo tosco, mas observável de como a maioria de nós "funcionamos".

  Meditem sobre isso depois continuamos.

  (Estou preguiçoso para publicar novos textos, vou tentar esse jeito de publicar por partes)

  
  
 "Se sou um Rico Empresário e sou a favor da privatização dos portos porque financio políticos que não se propõe a fazer isso!?"
[Repense]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Vamos pensar grande.

  Se você tivesse uma padaria em seu bairro e uma lei municipal proibisse mais que uma padaria por bairro ... ajudaria seu negócio.
  E uma lei que proibisse supermercados e mercadinhos de vender pão?
  Sem dúvida o movimento nas padarias aumentaria bastante.

  Acontece que os empresários do ramo de mercados não se importariam com a lei de uma padaria por bairro, mas seriam terminantemente contra serem proibidos de vender pão.
  Percebam que sempre há conflito de interesses nos mais diversos ramos de atividade e cada uma quer “puxar a sardinha para seu lado”.
    Financiar o vereador ou prefeito que o favoreça.
  
  Para qualquer empresa é interessante a reserva de mercado, ter leis que a proteja da concorrência.
  Imagine que por algum artificio nosso mercado de automóveis fosse aberto apenas para as montadoras GM e Ford.
  Para os brasileiros em geral seria uma grande limitação de escolha, mas para essas empresas seria ótimo.

  Um bom jeito de conseguir leis que favoreçam seu negócio é cooptando pessoas no governo.
 (Municipal, Estadual ou Federal).

  Outra linha de ação que não exclui a primeira é exaltar o nacionalismo.

 Não é interessante para nenhuma empresa o aumento da concorrência.
 Você acha que Itaú e Bradesco ficaram felizes da vida com a entrada do Santander em nosso mercado?
 Agora que o Santander está bem instalado no Brasil você acha que vai apoiar a chegada do exterior de qualquer outro Banco internacional com grande poder de expansão?

  Por isso sou favorável a proibição do financiamento de campanhas políticas por empresas.
  O empresário do ramo da construção pode fazer doações para quem quiser com seu CPF devidamente registrado.
  Sabemos exatamente quem está doando e que tipo de interesse defende.
  Quando se trata de uma Empresa tudo fica muito subjetivo.

  A Votorantim financia algum candidato. (só um exemplo)
  Essa decisão é tomada em Conselho e todos concordam?
  E os acionistas que não participam do Conselho?
  Vão ter que engolir a seco recursos do caixa da empresa sendo usados para eleger um candidato que nem é o que eles preferem?
  Sem contar que em geral os recursos financeiros da empresa são bem maiores que o da pessoa física.
  O Presidente da Votorantim usar 5 milhões da empresa em campanhas politicas é uma coisa, ele tirar da própria conta corrente é outra.

    “A contribuição deve ser pessoal, identificar quem está contribuindo e quem está recebendo além de ser limitado a uma certa quantia.”



Meditem sobre isso depois continuamos.

  (Estou preguiçoso para publicar novos textos, vou tentar esse jeito de publicar por partes)




.