sábado, 12 de setembro de 2015

Geração Internet

  “Porque sociedades completamente diferentes, perseguem os mesmos arquétipos em suas estruturas mitológicas?” [Post no Face]

  Por enquanto a maior parte da humanidade não gosta de pensar ou confunde com imaginar e lembrar.

  Quando você “pensa” em uma divindade o que acontece na maior parte do tempo é que está imaginando alguma entidade ao seu lado.
  Quando “pensa” em algo que aconteceu de manhã geralmente está só lembrando.
  Um colega que o destratou ou foi simpático.
  Alguma atividade que fez ou deveria ter feito.

  Pensar envolve memória/conhecimento e imaginação/abstração, mas se não acontece uma dedução bem fundamentada não considero que houve um pensamento de fato.
  É como dedilhar notas em um piano, fazer barulho qualquer um faz, tocar ou compor uma música ... é outro nível.
 
  Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele. [Henry Ford]

  O trabalho físico também raramente é agradável.

  Bom mesmo é o “milagre” a “mágica” ganhar tudo de bandeja ou ter um grande auxilio “espiritual” ... assim os arquétipos no final ficam semelhantes.

  Arquétipo: Todo e qualquer tipo de padrão ou modelo; paradigma.
  Aquilo que está no âmbito do consciente coletivo e tende a ser compartilhado por toda a humanidade.

  Quem nunca sonhou em ter um gênio da lâmpada?
  Tem uma série muito antiga Jeannie é um gênio. [YouTube]

  Quem não queria um ser ou entidade para realizar todos os seus desejos, até de imortalidade em algum paraíso?
  O Major Nelson era um grande babaca... pelos meus critérios.
  Se fazia de difícil com um muiérão daquele e queria conseguir tudo por seu próprio mérito!
  Eu casei com uma loira gostosa, pena que ela não tem os poderes mágicos da Jeannie, eu queria era viver no bem bom...HAHAAHHAHAHAHAAH!

   Na humanidade tem os “major nelsons”, mas a maioria é feita de willians.

  Qual crente vai a igreja e não pede uma vida cheia de bênçãos?

  Se vem Provações ele atura com esperança de ser melhor recompensado após a morte ou que depois do teste venha a bonança.
  No final voltamos na mesma, queremos uma entidade mágica que nos de tudo do bom e do melhor, nos proteja de qualquer mal.
  Comunistas Ateus chamam isso de Estado e Grande Líder.

  A diferença é que pessoas igual eu não conseguem viver de imaginação/ilusão.
  Não conseguimos ignorar os fatos nem viver de lembranças.
  Cada dia é um novo dia.
  Não há um fato/evidencia que alguma entidade magica está ao meu lado me protegendo de todo mal e distribuindo bênçãos.
  Esse Estado mágico provedor de tudo que nos protege até de nós mesmos foi uma ótima ideia em 1800, mas até agora não trouxe bons resultados, não acho que compensa persistir nessa teoria que só formou Governos Totalitários.

  Apesar de ser preguiçoso, o trabalho de pensar faço com gosto.

  A maioria fica criando mitos e passam a vida à espera de um milagre, imaginando que uma entidade mágica está sempre a seu lado abrindo as portas e iluminando seu caminho.
  As pessoas que tem uma qualidade de vida muito boa eu até entendo alimentarem essa ilusão, mas os ferrados ainda me espantam.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Uma mulher puxou conversa comigo e começou a contar seus problemas.

  Mostrou alguns papéis que indicavam uma doença respiratória crônica e disse que o marido estava desempregado.
  Não tinha certeza mas minha experiência me dizia que ela era pedinte.
  A pessoa não te pede diretamente esmola ela se aproxima e conta histórias tristes e os incautos oferecem algum dinheiro para ajudar.
  Esse tipo de pedinte ganha mais dinheiro que os outros.
  Se alguém te aborda e pede alguns trocados você dá umas moedas, dois a cinco reais.
  Mas quando a pessoa de comove você tem até vergonha de dar pouco dinheiro diante de tanta dificuldade, se você dispõe de algum dinheiro acaba dando vinte ou cinquenta reais.
  Por vezes vira até “freguês” do pedinte sempre lhe oferecendo alguma ajuda.
  No caso da mulher os papéis eram autênticos é como a fome em certas regiões da África ela é autentica.
  O que é questionável é usar uma situação triste como modo de vida, modo de ganhar dinheiro.

 “Dizem que de boas intenções o inferno está cheio.
 Eu concordo tanto com esse pensamento que por um tempo fiquei meditando o tanto de mal que a caridade tem provocado na humanidade.” [William Robson]

  Os momentos finais do nosso breve bate papo foi mais ou menos assim:

  - Eu tenho que comprar todos esses remédios.

  Não precisa comprar não, se a senhora tem comprado está jogando dinheiro fora, todos esses remédios são conseguidos no posto de saúde são pagos com o dinheiro dos impostos.
 [Ela deixou escapar um meio sorriso, claro que nada do que eu falei era novidade para ela.]

  Habilidosa ela já percebeu que do meu bolso iria ser difícil sair algum dinheiro.
  Ela apelou para meu lado cristão ... péssima escolha.

 - Olha filho, hoje eu vivo apenas pela graça de Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo.

  Pode até ser, mas se eu fosse a senhora agradeceria o dinheiro dos impostos que mantem esse hospital funcionando.
  Pela história que a senhora contou não encontro nada digno de agradecer a Deus ou Jesus Cristo...

  - Você é ateu?

  Não, só não encontro motivos na sua vida para ser tão grata a Deus como diz que é.

  - Se não fosse Deus eu não estaria mais aqui.

   Humm ... Você estaria morta e sua alma no paraíso?
   Porque isso é mal?
   Não acredita no paraíso?
 
-  Mas quanto mais eu sofro aqui melhor minha recompensa no paraíso.

  Então quem vive bem vai para o inferno e quem vive mal vai para o céu?
  Deus quer que você sofra?

 - Não, Deus não quer que ninguém sofra, mas se a gente sofre ele nos dá força.

  Ao invés dele dar força para você enfrentar as dificuldades não seria melhor ele não permitir tantas dificuldades?
  Pelo menos lhe dar boa saúde e um emprego a seu marido?
  Eu vivo bem, minha saúde é boa, não tenho grandes dificuldades financeiras vou para o inferno?

  - Qual seu nome mesmo?

   William.

 - Chegando em casa eu vou orar a Deus e pedir que ele reserve um lugar para você no céu.

  Olhei nos olhos daquela mulher e vi muita confusão em sua alma, mas senti sinceridade em seus sentimentos, ela realmente desejava ir para o céu e que eu tivesse um lugar reservado lá.
  Fiz algo que não costumo fazer, foi um instinto sei lá.
  Dei um abraço apertado na senhora, agradeci a oração e lhe desejei muita paz.

  Ela viveu tanto tempo sem pensar que agora só vive por seus dogmas, seu estereótipo de Deus.
  Levar um pouco de racionalidade para aquela mente seria um milagre só possível a entidades magicas...
▬▬▬//▬▬▬
  Eu observo que a Geração Internet tem muito mais acesso a informações.

  Não é que sejam mais inteligentes ou busquem mais informações que a geração anterior é que a informação é tanta que mesmo que não queiram acabam tropeçando nelas.
  Não dá para assustar uma garota de 10 anos hoje dizendo que beijo engravida.
  Uma família cristã pode dizer a seus filhos que Deus criou tudo e o mal entrou pelo Diabo.
  Mas em algum lugar essa criança vai tropeçar na teoria que se Deus criou tudo criou também o Diabo...

  Conseguir um lugar melhor no céu por meio do sofrimento.
  Quantos da Geração Internet irão levar esse dogma a sério?


Anterior          <>        Próximo 

Postar um comentário