sábado, 1 de outubro de 2016

Igualdade de Direitos e Oportunidades?

    “A sociedade que coloca a igualdade à frente da liberdade irá terminar sem igualdade e liberdade.”  


  “Dar igualdade de oportunidade para todos é algo tecnicamente impraticável fica na categoria dos sonhos impossíveis.
  Nosso valor é dado pelos outros e nossas oportunidades são maiores ou menores de acordo com esse valor.”

  Vamos a ilustrações práticas.

  Eu dou mais valor para minhas filhas do que a qualquer outras adolescentes pelo simples fato de ser pai delas, estamos juntos desde que elas nasceram, não é só uma ligação biológica é de convivência.
  Em qualquer situação que não exista uma lei regulamentando e tudo depender prioritariamente da minha decisão eu vou favorecer minhas filhas.
  Se eu tenho uma empresa e terei que fazer um sucessor minha preferência é pela família, a não ser que eu perceba que o familiar não seja competente para a tarefa.
  Quero dizer que todos temos preferências/gostos.

  Assim como cada um de nós vai dar melhores oportunidades para quem valorizamos mais (não importa o motivo) estaremos sujeitos a mesma contrapartida.

  Quem é mais valorizado em nossa sociedade eu ou algum ator global?

  Recentemente um ator global se afogou no rio São Francisco houve uma certa comoção nacional, foi noticiado em todas as emissoras, jornais, revistas.
  Se fosse eu que tivesse morrido só as pessoas mais próximas ficariam sabendo.
  Por dia em média morrem 17 pessoa afogadas no Brasil, mas a morte do ator mereceu destaque.
  Por favor, isso não é uma crítica.
  A morte de alguém famoso é notícia, a morte de um Zé Ruela igual eu não.
  Meu amigo Nelson Rodrigues diria:

“A vida como ela é.”

  Um último exemplo.
  Eu nasci de uma família bem pobre é natural que minhas oportunidades sejam menores, não sei porque isso ofende tantas pessoas.

  Eu e minha esposa construímos um bom lar, mas é evidente que o filho do Michel Temer tem um leque de opções muito maiores do que as que estão disponíveis a minhas filhas.
  Da mesma forma minhas filhas tem um leque de oportunidades muito maior que alguém bem mais pobre que nós.

  Preste atenção agora.

  Se cada indivíduo é único a interação entre dois indivíduos é algo ainda mais único, exclusivo.

  A eficiência financeira e psicologica da interação entre seu pai e sua mãe vai determinar muito as oportunidades que você terá na vida além é claro do seu próprio talento, sorte, competência.
  Fica claríssimo que são tantas e tão complexas variáveis que oportunidades iguais para todos é papo de maluco.

  Vamos então para o campo dos direitos que fica algo mais “realizável”.

  Toda criança tem direito a educação.

  Sim, no ensino fundamental e médio temos que ter ensino gratuito e de qualidade para todos, isso dá para fazer.
  Eu tenho alguma restrição ao ensino superior gratuito para quem pode pagar.
  Acho um uso indevido do dinheiro dos impostos.

  “Levantamento feito pelo G1 com dados divulgados pela Fuvest comparou o perfil dos calouros da USP de acordo com questionário respondido por todos os candidatos no momento da inscrição no vestibular.
  O curso de psicologia tem 31,4% de seus calouros de famílias com renda superior a R$ 10,9 mil mensais.
  O índice é de 30% na engenharia civil de São Carlos, 25% da medicina de Ribeirão Preto e 20% no curso de audiovisual.”



  Todos têm direito a atendimento médico.
  Sim, nós enquanto Sociedade devemos nos organizar de forma que o serviço de saúde seja o mais eficiente “possível”.

  Mas devemos ter consciência que medicina tem um alto custo, inevitavelmente por vezes teremos que fazer escolhas dolorosas.

  Vi uma reportagem onde um indivíduo toma um remédio que custa 150 mil reais por mês.
  Ele entrou na justiça e todos nós pagamos essa conta.
  Sei lá, se não tem tratamento viável … não tem tratamento viável, nossos juízes tem que entender isso.
  O dinheiro que vai para um único cidadão de certo provoca a morte de muitos outros por falta de recursos.

  “Em todo o Brasil, a estimativa do Ministério da Saúde é de que as decisões judiciais sobre o tema custem aos cofres públicos cerca de R$ 7 bilhões somente neste ano.”

Um direito importante é ninguém estar acima da lei.

  Nossas leis tem que ser mais claras mais precisas.
  Os advogados bons são valorizados por suas capacidades de encontrar brechas na lei.
  Oras, porque não irmos fechando essas brechas conforme elas forem aparecendo?
  Uma grande brecha é a enormidade de recursos jurídicos que os ricos conseguem pagar.

  Devemos lutar pela prisão já na condenação pela segunda instância.

  “Marco Aurélio vota pela anulação de decisão sobre prisão após segunda instância”.              
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Mas minha provocação para escrever esse texto nem foi debater o direito nas altas esferas do poder, mas sim em nosso mundo de Zé ruelas.

   Cada um de nós concede ou nega direitos veja exemplos de como isso se processa…

Um direito básico e indiscutível é o de você receber o que está pagando.
  Isso serve para rico, pobre, negro, branco, homem, mulher, homossexuais, católicos ou protestantes.

  Se você compra um bolo de 1 quilo é seu direito receber um bolo de 1 quilo.
  Se o Zé Ruela do padeiro lhe entregou um bolo de 800 gramas ele está burlando seu direito.

  Se uma empresa te paga para trabalhar até as 18 horas e as 17:30 você já está no vestiário você está burlando o direito da empresa em receber pelo que está pagando.
  Você Zé Ruela está ferindo um contrato, negando um direito.

  Entenda uma coisa [principalmente quem frequenta passeatas lutando por direitos] sem perceber você pode estar negando o direito de outros.
  Se você estaciona em vaga de deficiente, fura fila, fuma em local proibido … está ferindo direitos.

  É companheiro, nos falamos de direitos como se fosse algo concernente apenas aos Governos, aos políticos.

  Muitos brasileiro só querem receber direitos, sobre seus deveres não querem nem pensar.

  O problema é que se você não respeita o direito dos outros os outros também não se obrigam a respeitar o seu.
  Daí acontece essa zona que é nosso país.

  Veja esse triste caso:

  No currículo escolar do ensino fundamental tem a disciplina de educação física.
  Nós enquanto sociedade pagamos profissionais para ministrarem essas aulas a nossos filhos.
  Se pagamos temo o direito de receber.

  Por esses dias vi minha filha ir com um tênis sujo para escola.
  Fui repreender seu suposto relaxo e fiquei perplexo.
  O tênis estava sujo porque no dia anterior ela teve educação física na segunda aula e teria novamente dessa vez na última aula.
  A barbaridade já começa por aí.
  As criança estão estudando matemática e na segunda aula acontece a educação física!
  Depois elas cansadas e suadas voltam para classe para ter mais duas aulas imaginem o grau de concentração.
  Porque não fazer educação física sempre nas últimas aulas!?

  Mas o pior estava por vir.

  A educação física ministrada a minha filha se resume a “queimada” e “atividade livre”.

  Um dia a nossa grande profissional professora faz aquela brincadeira de um jogar a bola no outro.
  No outro dia ela deixa os alunos livres, cada um faz o exercício que quiser e se não fizer … tudo bem.

  O que eu esperava de um profissional de educação física?

  Meus professores ensinavam a fazer alongamento, fazíamos polichinelo, corríamos, conhecíamos fundamentos dos esportes mais populares e praticávamos alguns.
  Escola pobre sem muitos recursos não dava para fazer muita coisa, mas teve vôlei, basquete, handebol, futebol de campo e salão, natação em uma piscina pública, ginástica rítmica...

  O que acontece com nossas escolas!?
  Porque nossos zé ruelas professores não fazem o mínimo que se espera deles?

  Porque não respeitam o direito de nossos estudantes?

I’ll be back!



Anterior          COMENTAR        Próximo 



Postar um comentário