sábado, 2 de fevereiro de 2019

Descompasso com a Realidade

 "Nunca despreze as pessoas deprimidas.
  A depressão é o último estágio da dor humana."
[Augusto Cury]

  A palavra “desprezo” é muito forte.

  Desprezo ► Falta de estima ou apreço; desconsideração por alguém ou por alguma coisa.

 Não escolhemos o que sentir então confesso que tenho uma “antipatia racional” com a maioria dos deprimidos ou que se dizem deprimidos.

  Para muitos não parece que a depressão é o último estágio da dor e sim o primeiro.

  Ficam tristes ou decepcionados com qualquer coisa que as desagrade.
  Nunca estão satisfeitas com nada mesmo que a situação delas no geral seja melhor que a de muitos.

  Vou falar de um caso, entre tantos, não darei muitos detalhes porque fatalmente a pessoa saberá que estou a descrevendo e pode ficar ainda mais deprimida ... caso um dia venha a ler esse texto.

  Nosso contato começou em um dos inúmeros debates sobre Capitalismo dos quais participo.
  Ela uma Marxista fervorosa, defendia a esquerda com "apaixonada energia".
  Debate vai debate vem fui pegando detalhes da sua vida, gosto de analisar meus oponentes mais "vigorosos".
  Visito até o perfil na rede social se estiver aberto ao público.

  Moça bonita, 25 anos, classe média alta (no mínimo), muito saudável ... a não ser por frequentar psicólogos desde a adolescência e tomar antidepressivos.

  O que tornou essa moça tão desanimada com a vida?

  Nos debates notei extrema revolta dela com a "desigualdade social".
  A solução para ela é o Comunismo e como esse não tem dado muito certo teorizo que daí venha sua depressão.
  A moça aparentemente vive muito bem porque os pais são endinheirados, ela não tem nenhuma atividade profissional estava na segunda faculdade.
  A típica esquerdista ideológica vivendo na alta “burguesia”.

  Trato com todo respeito, mas tenho antipatia por esse tipo de deprimido “rebelde sem causa”.
  Ela desenvolveu ou aceitou uma visão de como deve ser a vida e não importa que a realidade se mostre muito contraria a sua ideologia.

  O descompasso com a realidade é a causa da depressão da moça?

  Teorizo que sim, mas me faltam dados.
  Se eu fosse um de seus terapeutas teria acesso a mais informações principalmente quanto a seus sentimentos.
  Mas aposto que seu descompasso com a realidade se repete nos seus relacionamentos em geral daí vem a decepção/depressão/incompreensão profunda da vida.

  Porém, como lhe foi receitado antidepressivos, pode ser que seu cérebro tenha alguma deficiência hormonal ou estrutural.

  Tenho antipatia também por “deprimidos fisicamente” quando se comportam incoerentemente como a maioria dos deficientes físicos.
  Explico:
  O deficiente vive falando que quer ser tratado como igual, sem discriminação.
  Mas sempre briga por redução de impostos nos mais variados bens e serviços, mesmo quando tem condições de pagar.
  Tenho antipatia pelo deficiente que exige igualdade de direitos, mas não de obrigações.
 
  Meditem sobre isso, no próximo texto continuamos.





.




.

Nenhum comentário: