segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

ONG


  No mundo todo há organizações dizendo defender “grandes causas”.
  E EM CADA PÁGINA PEDEM DOAÇÕES.
  Parecem a “Igreja Universal” ... só muda a causa.

  A maioria delas são “contra o capitalismo”, mas movimentam grandes fortunas que pela falta de transparência é difícil dizer para onde exatamente vai o dinheiro.

  Você acha que está ajudando uma tribo indígena, será que está mesmo?

  Percebem que tudo é uma questão de FÉ?

  Você manda a grana e tem a crença que a ONG é administrada por Santos.

 “A Survival International é uma organização não-governamental internacional que defende os povos indígenas ao redor do mundo.
 A Survival ajuda os povos indígenas a defender suas vidas, proteger suas terras e determinar seus próprios futuros.
Receita: 1,625 milhão GBP (2015)”

  A parte das ONGs é traçar o pior quadro possível para tocar em sua emoção.

  Quando optar por ajudar financeiramente uma causa, pesquise profundamente toda situação, não se deixe levar por panfletos e propaganda.
  Na dúvida, NÃO DOE.

   “Segundo novo estudo realizado pelo IPEA – Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas, instituição ligada ao Governo Federal, o Brasil fechou o ano de 2017 com 820 mil ONGs existentes – ou organizações da sociedade civil, o nome formalmente utilizado. Esse número representa um crescimento considerável do último número então disponível, de cerca de 400 organizações.
  Das 820 mil, 709 mil (86%) são associações civis sem fins lucrativos,  99 mil (12%) são organizações religiosas e 12 mil (2%) são fundações privadas.”

ONG significa Organização NÃO Governamental

  Mas além de pedir doações ao público, muitas delas aqui no Brasil recebem dinheiro do Governo/Impostos.

  Entendeu?
  A princípio elas deveriam ser um trabalho voluntariado de ações e doações sem participação dos Governos.
  Mas aqui no Brasil o “Governo” dá dinheiro para elas.
  Não querem nada com o Governo só com nosso dinheiro dos impostos...

  Entenda como ocorrem fraudes nos convênios entre ONGs e governos:




  





.

Nenhum comentário: