quinta-feira, 27 de março de 2014

Deus te Ama?

  “Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar.”  
[Carl Sagan ]

  
 
Gosta da loira, mas...


 Deus te ama...você esta certo disso?
 O amor é um sentimento que não dá muito para disfarçar, a pessoa te olha com muito interesse, quer estar sempre e muito perto de você, qualquer coisa que você diz tem um peso muito especial na vida dela para o bem ou para o mal.
 Depois que fiquei experiente não tinha dificuldades em identificar quando uma mulher estava se apaixonando por mim ou tinha um forte interesse, algumas devem ter até pensado que eu era um gay enrustido ou homem impotente...
  Na verdade eu já sabia que não poderia retribuir o mesmo sentimento pela pessoa e não queria que ela sofresse.
  Claro que a vida não é exata e discutir as nuances do amor daria vários livros, mas não vamos andar tantas casas depois da virgula vamos ficar mais no trivial, no esperado.
  
 
casa com com a morena!


   Não tem essa do cara falar que ama a loira e casar com a morena
  Se ele vai casar com a morena é porque é dela que ele
 gosta mais, vê maiores vantagens no relacionamento, sente mais falta.
  Acontece que a loira pode lidar pessimamente com o duro sentimento de rejeição, então ela cria malabarismos mentais onde o cara gosta mais dela e irá casar com a morena por dó, dinheiro ou qualquer outro motivo [cria uma atenuante]; porque a moça tem uma necessidade profunda de acreditar que o “verdadeiro amor” o cara sente é por ela.

 Então faltando 1 semana para o casamento o cara arranja tempo para dar uma pimbada na loira ao que ela feliz sentencia: “Tá vendo como ele me ama!”
  O cara diz para a loira que ao beijar a morena é nela que ele pensa. “Tá vendo como ele me ama!”
  A festa do casamento custou uns 50 mil e ele dá uma pulseira de mil reais para a loira [2% do que gastou com a morena]. “Tá vendo como ele me ama.”

  A loira quer acreditar que é muito mais amada que a morena, então esquece que a morena está recebendo muito mais que ela, fica CEGA para esses “detalhes”, só enxerga o que ela quer enxergar, INVENTA UMA REALIDADE.


  O crente católico vai a Aparecida agradecer a cura de seu filho, ele não olha para o lado, não vê que o filho do vizinho nem ao menos ficou doente e o cara não sabe rezar uma Ave Maria.
  O crente evangélico acredita que seu emprego de 1500 reais por mês é fruto de sua participação fiel na igreja desfrutando assim das graças do Senhor, o crente não quer enxergar que outros que pouco vão a igreja [quando vão] gastam esse dinheiro na balada e ainda sobra muito de seus salários.

   A crente diz que devemos acreditar em Deus pelo simples fato de existir flores, arvores, pássaros…
  Acontece que até onde sabemos todo espaço conhecido é pura desolação.
  A Terra é um planeta bem pequeno, uma singularidade, algo que foge as regras de como são os outro inúmeros planetas.
  Marte, Vênus, Júpiter... não tem flores, arvores, pássaros.

  Devemos medir Deus pela pequenez da Terra ou pela imensidão do Universo?

  Deus é vida ou desolação?

  Como convencer a loira que a ESCOLHIDA foi a morena?
  Como convencer um crente que não alcançou grande sucesso, que tem uma vida cheia de dificuldades apesar de muito trabalho e esforço... como convencer esse crente que ele é CRIATURA e não filho?
  NÃO TEM COMO!
  O crente não liga para as evidências, sua mente não esta lógica, apenas tem uma profunda necessidade de acreditar que é um escolhido, mesmo que tudo a sua volta demonstre que ele é só mais uma criatura.
  É, possivelmente tanto a nossa amiga loira quanto nosso amigo crente perdem preciosos bons momentos da vida vivendo nessa ilusão.

  Isso acontece porque naquele momento que a loira está com “seu homem” não dá para negar que ela esteja sentindo um imensurável PRAZER.
  Naquele momento que o devoto está em Aparecida diante da Santa, com seu filho curado, a sensação de estar sendo cuidado por uma ser espiritual dá um enorme PRAZER.
  Naquele momento que o evangélico está louvando ouvindo a banda ou o coral tudo é lindo e maravilhoso, seus 1500 reais por mês é o próprio Deus cuidando dele.

  A vida sem essa ilusão dos crentes poderia ser mais eficiente, ter momentos ainda melhores…

  Humm... não é bem assim, mas entraríamos em uma filosofia muito complexa, fica para outro dia. 

  O cara que fuma crack sente um enorme prazer que o deixa cego para todo o resto, se ele parar de consumir a droga sua vida ficará mais eficiente, mais SERENA, acontece que a intensidade daquele prazer conseguido com a droga não tem como ser atingido em uma vida serena então ele ficará com a LEMBRANÇA DO PRAZER, isto é o que mais prende as pessoas em suas realidades inventadas, suas “cavernas” como dizia o amigo Sócrates.

  Nossa amiga loira em nome do amor que ela sente pode até se conformar em ser amante, ter aquele homem por alguns momentos pode ser suficiente para ela, mas aí ela estará consciente de sua situação, poderá até tirar algum proveito da condição de amante e quem sabe um dia ele se canse da esposa antes que o amor da loira termine.
  A situação não é a que a loira queria, mas ao menos não esta mais vivendo de ilusão.

  Da mesma forma, uma coisa é ser criatura e ter consciência disso, gostar de estar na igreja, gostar da religiosidade, mas agir RACIONALMENTE, outra coisa é ser criatura e se enxergar um escolhido, um filho de Deus.
  Nessa situação você continua com todo o peso de ser criatura lutando feito louco para conseguir alguma coisa, sujeito a interferências negativas sem grande proteção, se submete a inúmeros rituais religiosos que tomam tempo e as vezes até dinheiro e as melhores bênçãos…ah! essas continuam indo para poucos escolhidos.

   Porque a vida é assim?
  Claro que não sei, se um dia descobrir prometo que te conto.

  Aqui no Abismo não invento realidade, apenas a OBSERVO.


Deus te ama, mas as bênçãos melhores dá a outro!

anterior         <>              próximo