sábado, 21 de janeiro de 2017

Ensino Fundamental

  PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DEVERIAM SER TÃO BEM REMUNERADOS QUANTO OS PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS?

  Acredito que NÃO.
  Não entendo porque nossos profissionais da educação complicam tanto o ensino fundamental.
  São conhecimentos básicos que qualquer pessoa com nível Universitário domina.
 [Ou deveria dominar]

  2 + 2 ainda é 4 e não temos notícias que deixará de ser.

  Uma ilha continua sendo uma pequena porção de terra cercada de agua por todos os lados, menos o de cima.

  O dia da independência continha sendo 7 de Setembro.

  A molécula da agua continua sendo H²O.

  Enfim, não sei porque professores tanto preparam aula!

  É passar o conhecimento, forçar alguma repetição através de pesquisas, trabalhos, lições de casa, e testar a assimilação nas provas.

  Os alunos “burrinhos” (ou com memória fraca) terão aula de reforço.

  DEFENDO QUE QUALQUER PESSOA COM NÍVEL UNIVERSITÁRIO POSSA DAR AULAS NO ENSINO FUNDAMENTAL.

  Bastaria fazer um curso de especialização de 6 meses e mais 6 meses de estágio em sala de aula como auxiliar de algum professor experiente.
  Esse curso poderia ser feito simultaneamente com a faculdade.

  As pessoas dariam aulas por um tempo, principalmente jovens que garantiriam alguma grana enquanto se preparavam para outras empreitadas.
  Enquanto o advogado não consegue trabalhar em um grande escritório, vai dando aulas no ensino fundamental.
  Isso serve para o engenheiro, médico, filósofo, arquiteto...

  Tem também aquele profissional que já se aposentou, mas gostaria de alguma atividade ... que tal dar aulas para crianças, nada muito puxado, só no período da tarde ou da manhã.

  Ou aquela mulher que quer se dedicar a criação dos filhos, o marido trabalha, e ela poderia ganhar algum dinheiro dando aulas em meio período.

  Enfim, NOVOS TEMPOS, NOVAS FORMAS DE ORGANIZAR A SOCIEDADE.

  Claro que os salários no ensino fundamental tem que ser atrativos, mas não precisa ser uma fortuna.
  Não é possível que o Universitário ganhe mais dinheiro sendo balconista de alguma lanchonete!

  Claro que podemos pensar em um plano de carreira para aquele professor muito bom e que adora trabalhar com crianças.
  De repente aquele indivíduo que começou a dar aulas sem grandes pretensões pode descobrir uma grande vocação isso é excelente para nossa sociedade.
  Mudando nossa mentalidade/Cultura, muita coisa boa/eficiente pode surgir.

  Mas...

PRECISAMOS MUDAR A MENTALIDADE


  Em alguns países têm o “livro do professor.”
  Basicamente é o mesmo livro que está na posse dos alunos com a diferença que o livro do professor vem com todas as respostas.
  Obvio que esses livros são feitos de acordo com o conteúdo pedagógico pretendido dar as crianças.
  Muitos pensadores acham o livro do professor uma coisa horrível.
  Eu acho muito bom/eficiente.
  Imagine que o Brasil de norte a sul tivesse livros do professor adotados nacionalmente para cada matéria.
  Português, matemática, ciências gerais, geometria, geografia, história.
  O professor de português não precisaria “preparar” nenhuma aula, bastaria seguir o livro/apostila de forma a concluí-lo até o final de ano letivo.
  Cada ano/série um conteúdo específico.

  A moça que se formou em agronomia não precisa ter conhecimentos profundos de português para lecionar essa matéria no ensino fundamental.
  Bastaria seguir o livro do professor.

  No ensino fundamental não se espera grande alteração de conteúdo.

  Exemplo:
  No livro de ciências gerais está lá a estrutura do átomo.
  De repente acontece uma descoberta científica relevante ... nós alteramos o livro.
  Entretanto se olharmos para o que nossos avós aprenderam sobre átomos lá na década de 40 veremos que nada de significativo foi acrescentado a esse conhecimento.

  Por favor, não sejam ignorantes.
  Estou falando de ENSINO FUNDAMENTAL.
  Devemos passar a nossas crianças conhecimentos básicos sobre átomos, se no futuro o indivíduo se interessar por física nuclear, a faculdade de física o elevará a outro patamar.

  Na escola passei muito tempo aprendendo a fazer a tabela de Linus Pauling, caía na prova.
  NÃO acho que é o tipo de conhecimento que alguém precise adquirir no ensino fundamental.
  NO BRASIL TEMOS EXCESSO DE CONTEÚDO.
  Tentamos ensinar tantas coisas para nossas crianças que elas acabam não fixando o básico.
  Como se não bastasse ainda temos o sério problema dos nossos professores quererem “formar cidadãos”, entenda-se doutrinar as crianças em uma ideologia “progressista”.

  Então temos:

  Professores priorizando formar cidadãos, enquanto transmitir conhecimentos fica em segundo ou terceiro plano.

  Transmitir conhecimento não é prioridade, e ainda colocam excesso de conteúdo como se o ano letivo tivesse 400 dias.
  É evidente que as crianças ficam com um conhecimento muito superficial de tudo, acabam esquecendo.
  E o pior, não fixam conhecimentos básicos, essenciais

  Fica claro que uma apostila nacional facilitaria muito as coisas, uma padronização do ensino.

  Criaram dificuldades muito grandes para alguém ser professor e não satisfeitos tornaram dar aula algo tão complexo quanto física quântica.

  Quais grupos ideológicos nos conduziram a isso não vem mais ao caso.
  A boa pergunta é:

  Se sabemos que precisamos mudar ... porque não mudamos?

  “Decifra-me ou te Devoro.”


 

1-   “E se o aluno quiser saber alguma informação que o pobre professor não conhece, ou na qual não consegue pensar?”
[Nihil]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  ISSO É EXCELENTE.
  Ninguém tem a obrigação de saber tudo inclusive o professor.

  Em texto recém revisado eu falo do Libido “desejo do conhecimento”, curiosidade.
  (Freud infantilmente limitou tudo a sexo)

  Um aluno que não se contenta com a resposta do professor irá pesquisar em livros, debates, e hoje em dia Internet.

  O professor de Einstein não desenvolveu a teoria da relatividade.

  O professor de Edison não desenvolveu a lâmpada elétrica.





2 - “Entendo seu posicionamento, mas devemos acrescentar que se a Escola propõe um modelo ético destoante do modelo familiar, podem acontecer alterações significativas no comportamento da criança esperado pelos pais.”
[Comentarista no G+]
▬▬▬▬▬▬
  Não vejo necessidade da Escola ter “ideologia”, “formar cidadãos”
  Me basta que ela TRANSFIRA CONHECIMENTOS.

  Ensine matemática, química, física, português, geografia... transmita CONHECIMENTO.

  Escolarizar é com a Escola, Educar é com a Família.

   Se sou judeu não me interessa que a escola passe valores “éticos” cristãos ou de qualquer outra religião.
  Se sou ateu não me interessa que a Escola passe valores de qualquer espiritualidade.
  Se sou hétero não me interessa que a escola induza meu filho ao homossexualismo.
  Se sou marxista não me interessa que a escola passe valores capitalistas.

  Enfim, cada pai que passe para seu filho os valores “éticos” que acredite.
  E depois os filhos que façam suas próprias escolhas.

  A escola deve ser o mais neutra possível, deve focar em ESCOLARIZAR.





Anterior          COMENTAR        Próximo


Postar um comentário