sexta-feira, 29 de junho de 2018

Mundinho Pequeno Burguês


  Não podemos ter o meio que vivemos como medida de todos os outros meios.

  Nas redes sociais o comentarista (em geral) não tem como medida nem o meio em que vive, mas o que ele IMAGINA.


  Aí fica muito difícil propor soluções efetivas.


  Na Internet me pedem muito para sair do “meu mundinho pequeno burguês”.
  “Acordar para realidade”.
  O interessante é que “meu mundinho” é o mais próximo da realidade brasileira e talvez mundial.
  Moro na cidade:

  “Mais da metade dos brasileiros mora em apenas 5,6% dos municípios
Quando se excluem as capitais, as dez cidades mais populosas são Guarulhos (SP), Campinas (SP) e São Gonçalo (RJ)”

   Dependendo do método de análise nossa população rural varia bastante.
  Minha cunhada Roseni mora em “área rural” próximo a Jaguariúna.
  Tem agua, luz, internet, carro, telefone...
  A distância do centro de Campinas é grande (uns 20 Quilômetros), as “ruas são de terra”.
  Fiquei sabendo que alguns bairros sem asfalto são assim porque muitos moradores querem manter as “características rurais”.
  São áreas com sítios e chácaras.

  Logo, você que está acompanhando essa meditação provavelmente faz parte do “meu mundinho”, mesmo que more em área rural.

  A eletricidade chega a pelo menos 97% dos domicílios.
  Praticamente todos os domicílios que tem eletricidade tem televisão.
  Quando você vê qualquer telejornal, novela, filme, debate ... que não seja uma produção regional, a mesma programação que passa no Rio Grande do Sul passa no Amapá.
  Sem mais delongas...

  Quero dizer que esses brasileiros isolados de tudo e de todos, que não tem acesso a nenhuma informação é uma “argumentação” muito usada em debates, mas que não resiste a analise pratica.

  Eu nasci pobre, mas em casa tinha agua e luz (quando meus pais pagavam).
  Na infância e adolescência tivemos TVs de péssima qualidade, mas tínhamos.
  Trabalhando bastante comprei bicicleta, moto, “lata véia”, carro.
  Na maior parte da minha vida morei de favor no fundo da casa de minhas avós.
  Com muito trabalho eu e minha esposa pagamos aluguel por uns 4 anos até conseguirmos as chaves do nosso apartamento.
  Meu mundinho “pequeno burguês” é na média a vida da maioria das pessoas no MUNDO.
  A miséria extrema ou grande riqueza NÃO são o que predominam.

  E aqui chegamos a grande provocação dessa meditação.

  É natural que “a mídia” nos traga o que foge da rotina.
  Se você atravessa a rua sem problemas não é notícia, é rotina
  Se você é atropelado vira pelo menos uma nota no jornal.

  Sabiam que em um cálculo bem pessimista “apenas” 7% da nossa população vive em favelas?

  Nas favelas tem água, luz ;em muitos casos até de “graça” (pago por todos nós).
  Rede de esgoto no Brasil é um grande problema a ser enfrentado, mas não vamos complicar ainda mais esse texto.

  Eu vivo como a maioria dos brasileiros vivem.
  Tenho acesso as informações que a maioria dos brasileiros tem.

  Nos debates na Internet “decretam” a falência total do Brasil.

  Quando escrevo que eu vivo bem ... me chamam de frio, insensível, alienado, alguém egoísta que só olha para o próprio umbigo.
  Pergunto se o comentarista vive na miséria e até agora não li um sim.

 😡“Eu vivo bem, mas e os milhões que estão na miséria?”.

  A impressão que nos passam é que temos 9% de pessoas bem, 1% de pessoas extremamente bem e 90% de terra arrasada.

  E como se 10% da população estivesse na Internet e 90% ... moram isolados na zona rural ou favelas, sem acesso a saúde, educação, segurança, informação...

  A garota que engravida na adolescência e se enche de filhos não teve acesso a informação.

  O garoto que se envolve com a marginalidade não teve acesso a informação, é um excluído da sociedade.

  O cidadão que vota em corrupto vive em “curral eleitoral” isolado de tudo e de todos.

  Eu sou um “privilegiado” que faço parte dos 10% de exploradores que vivem no mundinho burguês?

  Tem certeza que a extrema pobreza e extrema riqueza são as realidades que predominam no Brasil?

 

 Temos que melhorar nossa CULTURA.

  




Obs: Não estou ignorando todos nossos problemas.
  Acontece que tenho lido muito sobre marchar para Brasília e derrubar os 3 poderes!!
  Baseado em que!?
  Que o Brasil está com câncer generalizado e o único remédio é quimioterapia da mais pesada?
  Sei lá.
  Me parece que temos tumores extirpáveis com eleições.
  Vamos nos concentrar mais em política/economia e esquecer “intervenções mágicas”.




.


1 - 👨 “Queria saber se a frase é dele mesmo (Leandro Karnal) , pois não achei nada”.
[Comentarista no G+]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬   
  Entendo.
  Só de ler na imagem “Leandro Banal” já fica sugerido que é algo tendencioso.
  Coloquei essa imagem porque ela “simboliza bem” muito do que NÃO aceitam em minhas meditações.

  Exemplo prático:
  DEFENDO QUE A CULTURA HOLANDESA É MELHOR QUE A INDIANA.
  (Entenda “melhor” como mais eficiente para proporcionar uma vida satisfatória para maior número de pessoas)

  A maioria discorda, dizem que não há cultura melhor ou pior.

  EU DEFENDO QUE CULTURA PODE SER MUDADA.
  A maioria defende que ela deve ser mantida a ferro e fogo, que muda-la é descaracterizar um povo.

  Sei lá.
  Historicamente brasileiros são muito coniventes com a corrupção, faz parte da nossa cultura.
  Será mesmo que não podemos mudar isso?
  Iria nos descaracterizar?

  Apesar de sermos tão tolerantes com a corrupção podemos constituir uma nação tão boa quanto eu considero a holandesa?




2 - TODOS NÓS FAZEMOS PARTE DA “MINORIA” EM ALGUMA COISA.

Pedófilos são minoria.
Estupradores são minoria.
Torcedores do Guarani são minoria.
Filósofos são minoria.
Poetas são minoria.
Ruivos são minoria.
Canhotos são minoria.
Kardecistas são minoria...
Obs: Eu faço parte de tantas “minorias e maiorias” que nem dá para relacionar.

____________________________