quarta-feira, 30 de abril de 2014

Não Existir

  “Estranha criatura o homem; não pede para nascer, não sabe viver e não quer morrer.”
[Einstein]

  Daqui do Abismo chama muito a atenção essa dificuldade que as pessoas tem de enxergarem o óbvio, por vezes percebo claramente que as mentes não conseguem entender o que é “não existir”.



  Para elas o não existir é algo como ser transformado em uma parede, ver tudo e não interagir com nada, é como estar num estado de coma onde pudesse entender tudo a sua volta, mas não pudesse mover um único músculo.
  Oras, não existir é…não existir!
  Não ter consciência de nada, não enxergar nada, não fazer parte de nada.

  Muitos religiosos nos ameaçam dizendo que se não fosse Deus nós não existiríamos.
  E daí!?

  Escrevi em um texto que nunca vi nenhum jupteriano reclamando por não existir pelo motivo óbvio que ele NÃO EXISTE!
  Também nos dizem que Deus é tão bom que nos deu total livre arbítrio, acontece que na Bíblia ainda não localizei em que momento Adão pediu para ser criado.

  Parei de debater com minha mãe porque sempre a fazia chorar, lembro que ela gostava de jogar na minha cara que se não fosse ela eu não estaria aqui até que um dia meio com o saco cheio eu falei: “Tá bom eu não estaria aqui e daí?”
  Na cabeça da minha mãe e de tantas pessoas se eu não existisse eu estaria em algum lugar com inveja dessa vida…não me peçam para explicar eu nunca consegui entender.
  Na minha mente não existir é não estar em nenhum lugar, não ser nada.



  Eu não entendo o viver sem lógica.
  Se alguém me perguntar a qualquer momento o que estou fazendo e porque estou fazendo, sempre terá uma resposta.

  Faça uma experiência que eu já fiz, quando ver alguém fazendo algo que você não entende, não vê lógica, pergunte a pessoa o porquê ela esta fazendo aquilo.
  Você ficará surpreso com a quantidades de “não sei” ou “nem percebi que estava fazendo” ou ainda se prepare para ouvir uma explicação ESCAPISTA [malabarismo mental para justificar o injustificável ou desviar o assunto]
  Vamos a um exemplo, aqueles caras que gostam de fritar o pneu no asfalto, será que o cara gosta daquele barulho irritante? O cheiro ruim de borracha queimada? Diminuir a vida útil do pneu?
  O cara vai “escapar” dizendo que é para chamar a atenção das minas, caraca, deve ser minas de péssima qualidade mental para serem atraídas por algo tão imbecil...

  Então vamos aplicar um pouco de logica na questão da existência.

  “Não existir” como podem deduzir não é algo tão terrível, mas uma vez que estamos aqui não queremos deixar de existir.

  Tem um pensador, vou ficar devendo o nome, que dizia que nada chega mais de repente que a velhice.
  Sei você dirá que a velhice chega lentamente, mas eu digo que a percepção dela chega de repente.
  Eu até não ligaria de viver para sempre [ou por muito tempo] desde que fosse igual aqueles vampiros do filme Eclipse, sempre jovens, saudáveis e poderosos.
  Se permanecesse com a vitalidade dos meus 20 anos eu poderia viver 10 mil anos e seria muito bom.
  Tantas profissões para experimentar, tantos amores, tantas viagens, tantas experiências…
  Fiquei sabendo que aquele locutor Gil Gomes esta com Parkinson, uma doença muito triste.
  Tenho muito medo dessas doenças.
  A grande maioria das pessoas acreditam que viver vale sempre a pena, não importa como.
  Eu penso que diante de certas situações que infelizmente são inevitáveis e não desejáveis…morrer vale a pena, não quero ter minha existência prolongada se não for com boa qualidade de vida.
  A vida com dor é um inferno se não há esperança nessa vida partamos para uma outra o que não faz sentido é permanecer na dor, no sofrimento e achar que isso é vida.

  É melhor deixar de existir que existir com dor, se acontecer um inferno a gente vê depois.
[William Robson]

Gil Gomes lhes diz, BOM DIA!


anterior         <>              próximo

Postar um comentário