terça-feira, 2 de julho de 2013

Tem que me Amar

  “Todos são loucos, mas o que analisa sua loucura, é chamado filósofo.”
 [Ambrose Bierce]

  Pensadores desenvolveram uma série de definições para “filósofo”, um filósofo cabe em todas elas sem ser definido por nenhuma.
  Filósofo é aquele que escancara sua alma [mente], fala o que pensa e não o que foi convencionado pensar.
  Todos tem uma filosofia, mas poucos são filósofos. 
  Evidente que todos podem ser é só não desistir de pensar.

  Filosofia nada mais é que como você age diante da vida, seu modus operandi, o seu “auto programa”.

  Alguns se perguntam, PORQUE ESTOU FAZENDO ISSO?

  Outros simplesmente vão agindo SEGUINDO UM PADRÃO.

  Não que o padrão esteja sempre errado, na maior parte dos casos ele tem um sentido, teve uma razão, o filósofo se pergunta se o padrão não esta com o prazo de validade vencido.

  Vamos para uma ilustração mental.

  Suponhamos que seu marido [ou esposa] queira fazer uma viagem sem você, qual seu primeiro pensamento?
  Ele vai me trair, se cansou de mim, esta aprontando, sabe que é o tipo de passeio que eu não gosto, vou com ele de qualquer jeito, eu também vou fazer a minha viagem…
  Você esta pensando porque ele esta fazendo isso, esta “filosofando” o outro.

  Vamos supor que minha esposa queira viajar por 20 dias. 
  Se ela por algum motivo não deu uma explicação razoável a dedução mais provável é que deseja ficar um pouco longe de mim.
  Isso não é algo terrível, mas pode se tornar dependendo de como eu agir.
  Todos temos essa necessidade de sair da rotina de vez enquanto sem que necessariamente queiramos acabar com a situação que estamos vivendo.

  Todos gostamos de férias, é uma quebra da nossa rotina, mas não queremos ficar desempregados.

  Por mais que você goste dos seus filhos, por vezes ficar com a casa só pra você é extremamente agradável, principalmente quando a criança é muito pequena e dependente de tudo.

  Ou seja, minha esposa querer ficar um pouco longe da rotina do casamento não significa querer acabar com o casamento.

  Esse texto é para você ao invés de ficar só "filosofando o outro" se "auto filosofar".

  Antes, por favor, NÃO estou falando de traição , estou falando de uma viagem sem você, só isso.

  Talvez eu também queira ficar longe da minha esposa por 20 dias, esse é o meu desejo e se os dois querem a mesma coisa ... não há razão para brigar ou criar dificuldades.

  As situações são infinitas, não dá para entrar por todas, mas vamos supor que meu desejo é que minha esposa não viaje, não quero ficar longe dela.
  Claro, eu tenho que lhe dizer que preferia que ela não fosse, mas seria lógico proibi-la de ir?

  Acho que era meu amigo Confucio que dizia que quanto mais apertamos a água, mais ela escapa por entre os dedos. 
  Temos que ampara-la para saciar a nossa sede.

  Se eu gosto da minha esposa e ela quer sair da rotina por 20 dias, quem sabe sentir saudades, não vejo como a prendendo ainda possa desfrutar de seu amor!
  É, talvez ela nunca mais volte, mas se voltar é sinal que ainda gosta de mim, nosso bom relacionamento ainda é possível. 
  Se não voltar, ora, o amor por parte dela já tinha ido mesmo…

  Eu vejo pessoas que são apaixonadas pelo seu companheiro(a), nem conseguem mais imaginar a vida sem ele no entanto forçam a barra de uma tal maneira que só aumentam o distanciamento, criam abismos que impedem que o carinho e respeito possam ainda fazer parte da relação.
  A mulher quer continua com o marido, mas o coloca para fora de casa.
  O marido quer continuar com a esposa, mas a ofende, humilha...

  Se você se analisou, se “autofilosofou” e descobriu que se o relacionamento acabar quem mais sofrerá é você, é lógico que tente ser mais agradável. 
  Torturar sua esposa pode ser a pior estratégia a não ser que ela seja masoquista ... goste de um companheiro extremamente ciumento que não largue do pé.
 (Como eu disse as situações são infinitas.)

  Me dá dó ver tantos relacionamentos que ainda tinham uma grande chance, mas foram devorados justamente pela parte do casal que amava mais!!

  A pessoa fica filosofando o outro e histericamente fica como aquele dinossaurinho dizendo…
  "Você tem que me amar!"

  Amor não se obriga.
 Sentimos, não sentimos ou deixamos de sentir...