quarta-feira, 13 de março de 2013

Dharma/Karma


  A Terra passou por muitas intempéries e cada região formou um tipo de solo e consequentemente um tipo de vegetação.

  Certos tipos de vinho só podem ser feitos com certos tipos de uvas plantadas em determinada região, se encontrarmos em outra região condições de clima e solo semelhantes a “origem” então podemos cultivar a mesma espécie de uva e produzir o vinho com a mesma qualidade.
 [ou falta dela, depende da "preferência"].

  Vamos para fins didáticos dizer que o vinho depende da NATUREZA da uva.

  Isto não acontece só com os vegetais, o carvão e petróleo variam muito de composição química de acordo com a região da qual foram extraídos, a “natureza” do petróleo extraído no Brasil é diferente da natureza do petróleo extraído na Arábia Saudita, mas depois de “refinado” seu carro nem perceberá a diferença.

[Esse pensamento é muito complexo evite agora qualquer distração…se concentre.]

  Do petróleo vem o plástico, do plástico foi feito um pinico infantil, depois de muito utilizado foi jogado no lixo e depois reciclado, hoje é uma linda caneca de plástico onde você bebe água pura, limpa e cristalina.
  A “natureza” do plástico continua sendo a daquele petróleo extraído na Arábia Saudita, mas já passou por tantos processos que ficou irreconhecível.
  Tem alguma lógica eu não utilizar um copo plástico hoje devido a possibilidade dele ter sido um pinico no passado?
  Tem alguma lógica eu beber água em um pinico devido a possibilidade dele ter sido um lindo copo no passado?
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Senhoras e senhores a “reciclagem” [ou reencarnação] apaga tudo, as diferenças deixam de ser percebidas, se o plástico se apresenta como um copo hoje é como um copo que eu devo trata-lo e transformar este copo plástico em um objeto de vidro não é possível, pois o vidro é de outra NATUREZA.
  Em um sistema “lógico” de reencarnação a MORTE só faz sentido se apagar tudo, não importa se nesta vida eu matei 10 pessoas, se não fui punido em vida não serei em morte.

A morte apaga tudo, recicla o espirito.

  Mas vamos ao REFINAMENTO onde entraria o Karma ou o Dharma.
  Ora, o petróleo in natura nos é pouco útil, a uva in natura tem pouco “valor agregado”.
  Vamos supor que eu nessa vida tenha pouquíssimo respeito pelas mulheres até espanque minha esposa e não tenha conhecido alguma justiça em vida, a Maria da Penha não me alcançou...


  Se eu não fui punido em vida, não serei em morte. 
  [um outro dia entro por esta brecha]

  Aquele(s) que nos Controla(m) [não sei se é singular ou plural] podem refinar minha natureza me fazendo simplesmente nascer mulher, sem necessariamente forçar um RESGATE .
  Tipo, vou nascer mulher e casar com um espancador para resgatar minha divida de outra vida.
  O espancador também seria obrigado a um resgate e isto seria um “circulo de horrores”.

  Se eu nascer mulher, posso agora entender melhor o universo feminino e se eu for uma boa moça mereço um bom marido, porque não?
 Então saímos do Karma/Dharma do resgate/punição, para o Karma/Dharma do REFINAMENTO/APRENDIZADO.

  Mas, por hoje já fomos longe demais, quem conseguiu acompanhar fico grato pela companhia, quem não conseguiu… não se importe, são só tolices que farão companhia a algum solitário em um futuro próximo ou distante…

Bom dia a todos, CARPE DIEM!


anterior                       <>                                próximo

Postar um comentário