sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Desencarnados

🙎Espíritos não existem, é tudo mistificação”.
  [Comentarista no Face]         

 
Mistificação Ação ou efeito de enganar (alguém); fazer com que uma pessoa acredite numa mentira; farsa.

Não confundir com ...

Misticismo Inclinação a acreditar em forças e entes sobrenaturais.
  Crença de que o ser humano pode comunicar-se com a divindade ou receber dela sinais ou mensagens.

  Já tive experiências suficientes para perceber que alguma coisa existe, não é ilusão do meu “subconsciente”.
  Evidente que não posso responder pelo subconsciente de outra pessoa.

  Mas esse debate foi sobre Espiritismo (Kardecismo) vou fazer algumas analises.
 
 “Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804 — 1869).
  Foi um influente educador francês.
  Sob o pseudônimo de Allan Kardec notabilizou-se como o codificador do Espiritismo também denominado de Doutrina Espírita.
  Foi discípulo do reformador educacional Johann Heinrich Pestalozzi e um dos pioneiros na pesquisa científica sobre fenômenos paranormais (mais notoriamente a mediunidade), assuntos que antes costumavam ser considerados inadequados para o meio acadêmico.
 Adotou o seu pseudônimo para uma diferenciação da Codificação Espírita em relação aos seus anteriores trabalhos pedagógicos.”

  Minha aposta é que Kardec teve contato com outras formas de vida.
  Uma pessoa com suas características acadêmicas, só entra mais fundo no misticismo se tiver alguma experiência muito tocante.
  Porém NÃO acredito que essas formas de vida eram tão “superiores” quanto Kardec acreditava que fossem. 

  Uma corrente dos Judeus séculos antes de Kardec desenvolveu contatos com essas entidades, mas chegaram à conclusão que eram pouco evoluídas, o contato com elas era mais prejudicial que proveitoso.
  Parte do judaísmo inclusive defendeu a reencarnação, mas não recomendava o contato com desencarnados.
  A reencarnação é mencionada em vários locais nos textos clássicos do misticismo judaico, começando com a importante fonte da Cabala, o Livro do Zohar.12

  “Se a pessoa é malsucedida em seu propósito neste mundo, o Eterno, Bendito seja, o desenraiza e o replanta muitas vezes mais.”
[Zohar I 186 b]

  “Todas as almas estão sujeitas à reencarnação; as pessoas não sabem os caminhos do Eterno.
   Elas não sabem que são levadas perante o tribunal tanto antes de entrarem neste mundo quanto depois que o deixam; são ignorantes das muitas reencarnações e obras secretas que têm de passar, e do número de almas nuas, e de quantos espíritos nus vagam no outro mundo sem poder entrar no véu do Palácio do Rei.
  Os homens não sabem como as almas se revolvem como uma pedra que é atirada de um estilingue.
  Porém chegará a hora em que estes mistérios serão revelados.”   
 (Zohar II 99 b)

 “A ressurreição é então um puro conceito escatológico.   
  Seu propósito é recompensar o corpo com a eternidade (e a alma com maior perfeição).
   O propósito da reencarnação geralmente é duplo: ou compensar uma falha numa vida anterior ou criar um estado novo, mais elevado, de perfeição pessoal ainda não atingido.
   A ressurreição é então um tempo de recompensa; a reencarnação um tempo de reparo.
  A ressurreição é a época da colheita; a reencarnação o tempo de semear.


  Nessa meditação “vamos aceitar a hipótese” de que todos os fenômenos ocorridos nos Centros Kardecistas sejam autênticos.

  Vou tentar explicar para vocês porque preferi o afastamento respeitoso dos desencarnados feito pelos judeus que o envolvimento intenso dos Kardecistas.

  Frequentei o Espiritismo por alguns anos, não consigo precisar quanto, mas foram pelo menos 7 anos.
  Li todo o Evangelho Segundo o Espiritismo, participei de inúmeras sessões espiritas.

  As entidades contatadas falam “mesmices”, sem contar que não é raro aparecer alguma entidade ainda mais medíocre dizendo até palavras chulas.

  Que tipo de mesmice?
  Aquelas que o Sai Baba ou o Divaldo Franco falam:
  
 💝 “Precisamos de mais amor, precisamos de mais união, devemos suportar tudo com temperança, ame seu próximo…”


  Coisas legais e fáceis de dizer, porém difícil de colocar em pratica.
  Coisas que já vem sendo faladas por muito homens há milênios, mas que Divaldo e Sai Baba dizem com ar de grande novidade...

 💖 “A mansidão faz-te compreender que necessitas de crescimento espiritual e, por enquanto, a dor ainda se torna instrumento educativo.”

  💗“A piedade evita que mágoas ou sequelas de aborrecimento tisnem os teus ideais de enobrecimento.”
 [Divaldo Franco/Joanna de Ângelis]

  Essas são palavras “psicografadas” de Joanna de Ângelis para Divaldo.

  Fala sério, um espirito vem lá do além para falar algo tão simplório, encontrável em qualquer literatura romantizada da vida.

  Resumindo:

  A calma (mansidão) me faz entender que eu preciso de crescimento espiritual, a dor ainda é uma boa professora, a compaixão evita magoas que me desviariam do meu objetivo de enobrecimento da alma.

Resumindo mais ainda:

  Tenha calma, suporte a dor, perdoe.

  NÃO, não acho um mau conselho, só não vejo nada especial que ela tenha falado que compensasse tanto trabalho e tantos textos.
  Joanna pode até estar desencarnada, mas continua limitada mentalmente, não me parece em um nível tão superior a nós encarnados.
  Duvido que ela tenha conhecimento de uma cura para o Parkinson por exemplo.

  Deixo claro que:

  NÃO CONCORDO com “Freud” (ateus em geral) que diz ser tudo “mistificação”, fruto da nossa imaginação ou de um indecifrável (subjetivo) “inconsciente coletivo”

  O que é EU NÃO SEI.

  Ainda me coloco ao lado do amigo Shakespeare, há mistérios e eu tento entender…

  "Há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens possa imaginar".
[William Shakespeare]

   




Me declaro um Livre Pensador   “espiritualista”.
(Não confundir com Espirita.)



.


Nenhum comentário: